Lista de leitura | 5 livros sobre os horrores da guerra

4 comentários
Como toda apaixonada por história, sou das que anda caçando entre os lançamentos de editoras livros que retratem o período das Grandes Guerras. Há algo de encantador na literatura que abraça as dores dessa época, e eu descobri isso muito nova: antes mesmo de ler A Menina que Roubava Livros, um dos best sellers mais conhecidos sobre o tema, eu já tinha lido O vôo das Águias aos 12 anos e estava perdidamente apaixonada pela forma como os personagens ganham vida nesse cenário. Oito anos depois, cá estou eu para contar a vocês o que está na minha lista de leitura, livros prontinhos para serem devorados!


Os óculos de Heidegger

Desde que foi publicado - em 2013 - estou de olho nesse livro. O que me encantou nele foi seu traçado interessante ao redor do tema que já conhecemos: em Os óculos de Heidegger, somos apresentados ao programa nazista Operação Postal, numa trama que costura, possivelmente, mistério e filosofia. O que esperar do livro? Ainda não sei. Mas me apaixonei pela capa e as expectativas estão, ó, enormes. Esperando não me decepcionar.

Autora: Thaisa Frank
Editora Intrínseca
288 páginas
Skoob
Sinopse: Em seu livro de estreia, Thaisa Frank mescla filosofia e romance em uma história inusitada. O cenário é a Operação Postal, programa nazista em que um grupo de intelectuais respondia às cartas enviadas aos prisioneiros dos campos de concentração com objetivo de garantir sigilo sobre a Solução Final.
Certo dia, uma tarefa é passada pelo próprio Goebbels: responder a uma carta do filósofo Martin Heidegger para seu amigo e oculista Asher Englehardt, prisioneiro de Auschwitz. Diante da suspeita de que talvez a prosaica correspondência contenha algum tipo de mensagem cifrada que poderia desmantelar os planos do Terceiro Reich, os escribas e seus líderes se veem às voltas com o desafio de responder ao filósofo de uma forma que desencoraje uma nova troca de cartas e garanta a permanência tranquila do grupo.



O Pacifista

O Pacifista apresenta aos leitores Tristan Sadler, mais um daqueles personagens que me conquistam desde a sinopse. Histórias de personagens que retornaram à guerra através de suas lembranças são fáceis de conquistar o público, e é isso que espero de O Pacifista. Segredos e fardos pesados demais parecem acompanhar a vida de quem viu a morte muito de perto. Na época que ele foi publicado, li várias criticas (de gente que confio!) positivas, então é mais um ponto a favor da leitura. Apesar disso, ainda não comprei o livro </3 Estou à espera de um milagre econômico em minhas finanças… Vai que, né.

Autor: John Boyne
Editora Companhia das letras
302 páginas
Skoob
Sinopse: Inglaterra, setembro de 1919. Tristan Sadler, vinte e um anos, toma o trem de Londres a Norwich para entregar algumas cartas à irmã mais velha de William Bancroft, soldado com quem combateu na Grande Guerra. Mas as cartas não são o verdadeiro motivo da viagem de Tristan. Ele já não suporta o peso de um segredo que carrega no fundo de sua alma, e está desesperado para se livrar desse fardo, revelando tudo a Marian Bancroft. Resta saber se o antigo combatente terá coragem para tanto. Enquanto reconta os detalhes sombrios de uma guerra que para ele perdeu o sentido, Tristan fala também de sua amizade com Will, desde o campo de treinamento em Aldershot, onde se encontraram pela primeira vez, até o período que passaram juntos nas trincheiras do norte da França. O leitor pode testemunhar o relato de uma relação intensa e complicada, que proporcionou alegrias e descobertas, mas também foi motivo de muita dor e desespero.

Irmãs em Auschwitz

Esse foi um dos lançamentos de outubro da editora Universo dos Livros, mas só por agora eu soube que ele foi publicado. É um livro baseado na história real da própria autora e sua irmã Danka, então ao mesmo tempo que estou ansiosa para lê-lo, também sinto um friozinho na barriga. Afinal, histórias são histórias reais, não é mesmo? Ler “de perto” os horrores de Auschwitz é como ver um retrato da dupla face do humano: aquele que mata, aquele que abraça seus irmãos mesmo em uma situação de fome, doença e morte.

Autoras: Rena Kornreich e Heather Dune
Editora Universo dos Livros
416 páginas
Skoob 
Sinopse: Irmãs em Auschwitz é escrito com simplicidade e graça… E o sentimento avassalador que nos toma ao finalizar a leitura é um triunfo: ainda é possível encontrar altruísmo e união entre pessoas que vivem em um lugar de horror implacável. - Los Angeles Times Book Review Uma das poucas pessoas a se entregar voluntariamente para o exército alemão e ir a um campo de concentração – quando ainda se acreditava que eram apenas campos de trabalho – Rena Kornreich fez parte do primeiro transporte em massa de judeus para Auschwitz e sobreviveu ao campo nazista por mais de três anos, junto a sua irmã mais nova – Danka. Juntas, ambas tiveram de ser resilientes a cada a perversidade vivenciada durante o período de aprisionamento. E, a despeito da iminência da morte, das doenças, das surras e do trabalho forçado, os relatos de Rena a respeito da convivência entre as prisioneiras nos garantem que a empatia emergida dentro de cada dormitório e de cada grupo de trabalho encorajou essas mulheres a permanecerem unidas até que Auschwitz fosse libertado e suas vidas fossem devolvidas para sempre.

Nada de novo no front
 

Mais um livro com pegada auto-biográfica. Essa foi uma recomendação de um tio, que, assim como eu, é uma traça de romances históricos. Nada de novo no front é como um retrato real do que era existir no meio do campo de batalha, já que o próprio Erich Maria Remarque, autor do livro, esteve face a face com a parte mais horrenda da guerra. Esse é o primeiro livro de uma trilogia, e já estou ansiosa para ler há alguns meses! Mas, pelo que parece, só dando uma caçada em sebos, porque até hoje, nada de encontrar o dito cujo.

Autor: Erich Maria Remarque
Editora L&PM
224 páginas
Skoob
Sinopse: Um libelo pacifista, Nada de Novo no Front é uma das mais belas obras da literatura do entreguerras. Erich Maria Remarque trabalha com as suas próprias experiências como um jovem soldado alemão, insuflado pelo nacionalismo chauvinista de professores e oficiais para ver que, diante da dura realidade da guerra, só pode se acreditar em seus companheiros. O primeiro livro da trilogia contemplada por "De regresso" e "Os três camaradas", revelando uma geração inteira esfacelada pela guerra e que se recusa a aceitar o sombrio militarismo nazista que está por vir. Uma obra sensacional!



O menino dos fantoches de Varsóvia

Lançamento do ano passado da Novo Conceito, O Menino dos Fantoches de Varsóvia acompanha uma série de publicações do mesmo estilo, tal como A menina que Roubava livros e O menino do pijama listrado, dando voz à história através dos olhos de crianças. Neste, acompanhamos o jovem Mika, que descobre nos antigos fantoches do falecido avô uma forma de transformar a existência das pessoas próximas a ele mais alegres, nem que seja por um momento.

Autora: Eva Weaver
Editora Novo Conceito
400 páginas
Skoob
Sinopse: Mesmo diante de uma vida extremamente difícil, há esperança. E às vezes essa esperança vem na forma de um garotinho, armado com uma trupe de marionetes – um príncipe, uma menina, um bobo da corte, um crocodilo... O avô de Mika morreu no gueto de Varsóvia, e o menino herdou não apenas o seu grande casaco, mas também um tesouro cheio de segredos. Em um bolso meio escondido, ele encontra uma cabeça de papel machê, um retalho... o príncipe. E um teatro de marionetes seria uma maneira incrível de alegrar o primo que acabou de perder o pai, o menininho que está doente, os vizinhos que moram em um quartinho apertado. Logo o gueto inteiro só fala do mestre das marionetes – até chegar o dia em que Mika é parado por um oficial alemão e empurrado para uma vida obscura. Esta é uma história sobre sobrevivência. Uma jornada épica, que atravessa continentes e gerações, de Varsóvia à Sibéria, e duas vidas que se entrelaçam em meio ao caos da guerra. Porque mesmo em tempo de guerra existe esperança.


 Lidos que recomendo MUITO:



4 comentários :

  1. Olá!
    Também me atrai muito livros sobre esse tema. Estou querendo ler alguns que você citou na lista.
    Boas festas!
    http://ymaia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oi!
    Segunda Guerra Mundial é um dos temas que mais me interessam na História Mundial, mesmo que eu não esteja tão chegada a tais leituras ultimamente. Mas quem sabe no futuro? Um livro que eu li que é muito comovente é A vida em tons de cinza, que fala sobre a realidade da União Soviética e dos gulags.

    Clara
    @clarabsantos
    clarabeatrizsantos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Oi
    Eu amo o tema da Segunda Guerra Mundial.
    Estou apaixonada por "Toda Luz...".
    Não vou saber citar os autores, mas procure saber ou ler sobre "Meninos do Brasil", "O Menino do Pijama Listrado" e "O Pianista",todos muito bons

    ResponderExcluir
  4. É um tema muito interessante a segunda guerra mundial, uma das minhas leituras favorita é o Diário de Anne Frank, uma obra incrível, recomendo.

    ResponderExcluir