Harmony Clean Flat Responsive WordPress Blog Theme

Resenha | Uma noite para se entregar (Tessa Dare)

terça-feira, novembro 03, 2015 Naiane Aline 1 Comments Category : , , , , , , ,

Se tem uma coisa que ainda é difícil encontrar é romance erótico com uma boa protagonista feminina; e qual não foi minha surpresa quando enxerguei uma feminista num romance histórico! Uma noite para se entregar, de Tessa Dare, tem muitos defeitos, mas nenhum deles diz respeito a sua protagonista, e, no fim, a leitura foi agradável. Se você está a procura de um romance histórico com um pano de fundo interessante e personagens fortes, o primeiro livro da série de Tessa é uma boa pedida.

          Tudo começa em Spindle Cove, uma espécie de destino ideal para mulheres que tinham "problemas" em se adaptar à vida social do século XIX. Eram meninas de boa família, mas, de certa forma, fora dos padrões sociais da época. A líder desse lugar não poderia ser diferente, então: Susanna Finch é a descrição exata da inteligência e teimosia. Longe de ser a esposa recatada perfeita, ela faz as vezes de anfitriã da vila e defende suas meninas da maneira que pode. O lema de Spinddle Cove? "Não precisamos de homens". E não precisavam mesmo... Até que Victor Bramwell, a definição do macho alfa, aparece na pequena comunidade procurando um favor. 

           Entender um pouco do pano de fundo da história talvez ajude a compreender essa parte. A Inglaterra está em guerra e qualquer força aliada é bem vinda. Bramwell, que já tinha chegado ao posto de tenente-coronel do Exército Britânico, no entanto, sofreu um ferimento de guerra que quase o fez perder uma das pernas. Ele ainda anda com dificuldade e sente dores, mas, em sua cabeça, seu corpo só é útil se estiver no meio de um campo de batalha, então, ele decide ir até Spinddle Cove pedir ao pai de Susanna, que trabalha como conselheiro real, uma indicação que o fizesse voltar a ativa. O que o pai de Susanna pede em troca muda não só toda a vila, como também Bramwell e seus homens.
"Você sonha comigo?"
"Frequentemente." Beijo. "Vividamente." Beijo. "Acrobaticamente."

         Um ponto muito positivo do livro é o desenvolvimento das personagens. Você consegue sentir com elas o medo de se envolver naquele relacionamento, e é quase impossível não simpatizar com Susanna ou Bramwell - quem sabe os dois. A cena de chegada de Bramwell no vilarejo é a definição de todo relacionamento do casal protagonista: ele cai em cima dela, uma mulher desconhecida e... A beija. Um relacionamento que já começa assim promete o que para nós, meras leitoras? Muitas risadas e ansiedade!

         É possível, também, perceber o quanto todos os personagens, sejam eles protagonistas ou coadjuvantes, estão crescendo e se desenvolvendo. Isso faz a história ganhar um pouco de "conteúdo", você sente que está lendo pessoas em processo de mudança, sim. Porém, ainda assim vi uns problemas aqui e ali nesse processo. Da forma como é apresentada no livro, parece que que Spinddle Cove era um lugar com problemas só porque não tinha homens em seu recinto. Vamos combinar que não é assim que a banda toca, né, amigas? Por favor. O mundo, definitivamente, não gira ao redor dos homens e não é só com a presença deles que um lugar passa a ser saudável.
"Você é horrivel."
"E você adora isso."
"Deus me ajude", choramingou ela, e Bram a puxou para fora da torre, em direção ao pátio.

         Mas o maior problema do livro MESMO é o modo como ele foi editado. Não sei vocês, mas me incomoda profundamente livros que permanecem no formato norte-americano de narrativa - ou seja, sem o uso de travessão nos diálogos. Pode ser apenas uma implicância minha, mas sinto a leitura fluir mais lentamente, e ás vezes até me atrapalho no que é diálogo, pensamento ou... Enfim. Vocês me entenderam. Espero que os próximos livros da série não estejam nessa mesma estrutura, senão vou sofrer.

         Falando das coisas que realmente importam num romance, o casal protagonista convence e não convence ao mesmo tempo. Eles possuem tudo, desde a química até o motivo e desenvolvimento, mas ainda assim a passagem de "inimigos declarados" para "amantes" pareceu abrupta. E, logo que começaram a ficar, rolou também o eterno mimimi. "Ah, que não posso ficar com ele", "ah, que não posso ficar com ela". Jesus e todos os deuses, como isso me irrita! Não chega a ser um grande problema pra história, mas é um ponto.

         Para quem está procurando um romance histórico erótico leve e com toques de humor, recomendo Uma noite para se entregar. A autora abriu muito bem sua série (Spinddle Cove), e estou aqui me perguntando o que esperar dos próximos livros. Aguardemos.


Autora: Tessa DareLivro 1 - série Spinddle Cove
Editora Gutenberg
286 páginas
Nota 8/10 ou 3,5 de 5 estrelas
Submarino | Livraria Cultura | Saraiva | Fnac
Sinopse: Spindle Cove é o destino de certos tipos de jovens-mulheres: bem-nascidas, delicadas, tímidas, que não se adaptaram ao casamento ou que se desencantaram com ele, ou então as que se encantaram demais com o homem errado. Susanna Finch, a linda e extremamente inteligente filha única do Conselheiro Real, Sir Lewis Finch, é a anfitriã da vila. Ela lidera as jovens que lá vivem, defendendo-as com unhas e dentes, pois tem o compromisso de transformá-las em grandes mulheres descobrindo e desenvolvendo seus talentos.

RELATED POSTS

1 viciados comentaram

  1. Estou bem interessada nesta série, pois o enredo parece muito bom, sem falar que a capa está muito bonita.
    Bjs, rose.

    ResponderExcluir