Por trás do livro | Deco Rodrigues - Três contra todos

Um comentário
Saudações!

Indicado para:
+ Romanceira(o)s de plantão
+ Interessados em poliamor
+ Quem acredita em todas as formas de amar

Depois de um tempinho sem computador, estou de volta (!). Atrasada, mas okay. Hoje teremos uma entrevista que fiz com o autor do livro Três contra todos, Deco Rodrigues. Super simpático, o autor falou um pouco sobre como foi escrever uma obra de romance do gênero, e o que ele já está produzindo para os próximos anos.

Declarado - e confessado - como um observador do cotidiano, Deco se inspirou em uma história real para dar vida aos personagens Lucas, Rafaela e Eduarda.

Curiosidades:
+ Os locais usados no livro, como bares, são reais. Localizam-se em Pelotas
+ O próximo livro do autor contará com a participação dos personagens de Três Contra Todos. Previsão para 2016

Você já disse que o livro foi inspirado em uma história real. O quanto dela é verdade, e quanto foi sua criação?
Os personagens são muito próximos de pessoas que existem, mas no romance, suas histórias de vida são bem diferentes. Diria que mais que 70%
é criação minha, mas a emoção e sentimentos contidos no livro são tão fortes quanto as reais.




De onde veio o desejo de escrever a história?
Da vontade de contar uma história onde as pessoas poderiam compreender que é possível sim amar mais de uma pessoa ao mesmo tempo, e que isso não é errado, quando tem verdade e reciprocidade.


Eu me senti impactada pela história, de diversas maneiras. Acredita que o livro que você escreveu ajudará seus leitores a entenderem melhor um assunto que ainda é um pouco nebuloso como o poliamor?
Escrever o romance foi uma forma de expressar e lidar com meus próprios sentimentos. Sim, sempre acreditei que o livro poderia ajudar algumas pessoas e já tive o prazer de receber retornos positivos de leitores com o qual se identificaram e se sentiram mais fortalecidos após a leitura.
Poliamor é associado a promiscuidade, a fetiche sexual, e não é isso. Poliamor é a possibilidade de se estabelecer mais de uma relação amorosa ao mesmo tempo com a concordância de todos os envolvidos, relacionamento envolvendo amor. A única diferença para os namoros convencionais é que envolve mais do que duas pessoas.


Durante o livro alguns lugares são citados, como bares, e o o próprio submarino amarelo, aberto por uma das personagens. Algum deles é real? Caso sim, por que decidiu colocá-los no livro?
Tirando o submarino amarelo, todos os outros locais citados no livro são reais, foi uma maneira natural na escrita, meus personagens circulam na cidade onde resido e escuto histórias inspiradoras, locais onde eu vivi e continuo vivendo histórias inspiradoras. Foi também uma maneira de homenagear Pelotas, cidade onde moro e que faz parte de quem eu sou.


Já está trabalhando em outras histórias? São de temas diferentes ou possuem previsão de lançamento?
Tenho os primeiros capítulos de um romance que provavelmente será meu terceiro livro, será algo mais denso e precisarei de mais experiencia na escrita. Devido ao bom retorno dos leitores de Três contra Todos, atualmente estou escrevendo um romance que continuará na abordagem destas novas formas de amar, novos personagens protagonistas mas contará com participações dos protagonistas do primeiro livro, dando assim uma pitada de continuação do Três contra Todos e espero lançá-lo em 2016.

Um comentário :

  1. Olá!
    Muito legal a entrevista. Eu gostei bastante da história desse livro. Sinceramente, nunca tinha ouvido falar na palavra "poliamor" até hoje. Super interessante. Beijos!
    http://ymaia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir