Resenha | A arte de ouvir o coração, de Jan-Philipp Sendker

Nenhum comentário

Como tenho muitos livros no meu e-reader, na maioria das vezes eu começo a ler um livro novo só por causa da capa e/ou título, e, quase sempre, me surpreendo com a história. E com esse livro foi exatamente assim!


O livro começa quando Tin Win, um advogado de sucesso de Nova York desaparece sem deixar vestígios, e ai a filha, Julia, decide ir atrás do pai tendo como pista somente uma carta de amor do pai para uma mulher na Birmânia.

Apesar de ser um pai presente Tin Win não foi um marido tão presente assim. Tanto que quando ele desapareceu sua mulher nem se preocupou, pois o amor entre eles já não existia mais (ou talvez nunca tenha existido). E ai, Julia decide contrariar a mãe, e ir atrás do pai.

Logo após se acomodar na Birmânia ela conhece U Ba, que parecia já está esperando-a. E ele promete dá as respostas para todas as perguntas de Julia. No início, ela não entende como ele a conhece, e não confia nele logo de cara, mas ele pede para ela o encontrar no dia seguinte, e apesar do receio ela vai, e é aí que conhecemos a história de Tin Win. E Mi Mi.

Em Kalaw existem crenças relacionadas ao dia do nascimento da pessoa, que dizem se ela nasceu em um péssimo dia ou não. No caso de Tin, ele nasceu em um péssimo dia. E desde o início sua mãe achou que ele traria tragédias com ele, e em nenhum minuto deixou de acreditar nisso, tanto que logo depois da morte do marido, ela achou que já tinha acontecido coisas demais e resolveu ir embora, deixando o pequeno Tin Win para trás. Mas uma vizinha logo o acolheu e cuidou dele como se fosse o seu próprio filho; e não acreditava na crença de que Tin tinha má sorte por causa do dia em que nasceu. 

Ao chegar aos dez ano Tin fica cego, por causas não diagnosticadas nem pelos médicos. Mas isso não faz com que ele desista de viver, ele segue firme e forte. E é aí que ele tem que se adaptar ao mundo e aprender a enxergar tudo ao seu redor de outra forma. Ouvindo as batidas do coração.

Até que sua "mãe" resolve colocá-lo em um mosteiro, e é lá que ele aprende a ouvir as batidas do coração, começando pelo coração de Mi Mi. Ela, que tem uma deficiência que a impede de caminhar, mas não de procurar ser feliz.

As deficiências de cada um não os impede de ficarem juntos! E o amor deles se torna cada vez mais forte. Até que chega um momento em que eles tem que se separar, pois o tio (rico) de Tin o manda para a cidade grande, para tentar curar a cegueira. Achando que não ia ficar muito tempo longe, Tin vai em busca do tratamento. E ele volta a enxergar. Mas não volta para Kalaw. Não volta para Mi Mi. Pois seu tio decide pagar os seus estudos, e por Tin ser muito agradecido por tudo o que ele faz, não consegue dizer não para seu tio, e fica em Nova York para estudar. E por lá fica, se casa e tem filhos, mas em nenhum momento se esquece de Mi Mi.

Até que muito tempo depois ele volta para Kalaw.

E sim, Julia encontra todas as respostas para as suas perguntas!

De todos os livros de romance que já li, esse com certeza é, o que tem o final que mais me impressionou! Que história de amor linda! Nem o tempo foi capaz de apagar o amor deles.

Sabe quando você termina um livro que gostou tanto que chega dá vontade de agradecer o autor por escrever algo tão bom? Me senti assim ao terminar a leitura desse livro! 

Leiam leiam leiam! Apesar de em algumas partes o autor se prolongar demais, tenho certeza que vocês não irão se arrepender. <3

Alguém já leu? 
Até a próxima! :)

Editora: Paralela
Páginas: 256
Minha classificação: 5/5 + favorito!
Sinopse: O alemão Jan-Philipp Sendker conseguiu um grande feito: com uma história de amor forte e emocionante, mas totalmente diferente das tradicionais, conquistou milhões de leitores por todo o mundo. Só na Alemanha, já são quinhentos mil exemplares vendidos. Este livro conta a história de um bem-sucedido advogado de Nova York que desaparece de repente sem deixar vestígios, o que motiva Julia, sua filha, a ir atrás da única pista que tem - uma carta de amor de seu pai para uma mulher da Birmânia. Mas tudo isso é só uma introdução para a grande história que o leitor, acompanhando Julia, vai conhecer a partir daí. Um velho de Kalaw começa, então, a falar sobre a infância de seu pai, um período difícil para o pequeno Tin Win devido à crença de sua mãe que dizia que o menino havia nascido em um péssimo dia. Quando chega aos 10 anos, e parece já ter passado por muitos momentos ruins, ele fica cego. Mas diferente da forma que geralmente encaramos as coisas, isso não parece o fim do mundo para Tin Win. Não há tristeza ou desespero, mas sim um novo desafio que o leva a desenvolver a arte de identificar uma pessoa pelo som do coração batendo. E é assim que ele conhece o amor de sua vida, Mi Mi. Uma garota que aos poucos vamos descobrindo que também teria motivos de sobra para desistir da vida, mas que simplesmente vive como se ela fosse um grande milagre. A história segue de forma tão impressionante que as deficiências de Tin Win e de Mi Mi se tornam um simples detalhe.

Nenhum comentário :

Postar um comentário