Resenha | Viagem ao Centro da Terra (Júlio Verne)

Um comentário
Saudações!
                Que saudade daqui <3 Já estava mais o que na hora de sentar e escrever as resenhas pendentes. Pois bem, aguardo os comentários de quem já leu ou quer ler o livro. Os fãs do autor são bem vindos para me indicarem qual o próximo livro dele devo ler.

Viagem ao Centro da TerraAutor: Julio Verne
Editora Ática
280 Páginas
Nota 10 | 5/5 estrelas 
Sinopse: Axel está prestes a viver a aventura de sua vida, ainda que a contragosto. Obrigado pelo tio a acompanhá-lo numa expedição ao centro do planeta, o jovem e perspicaz narrador diverte o leitor com seu bem-humorado relato da jornada, angustiado diante das excentricidades do genial professor Lindenbrock e de seu impassível guia. Fruto de meticulosa pesquisa, Viagem ao centro da Terra alia entretenimento a informação. Explorando culturas, cidades e mares, reconstrói a evolução do planeta e prova que nada é impossível quando se tem coragem. Pelo menos, o bastante para encarar uma inversão fascinante e, ao mesmo tempo, terrível bem debaixo de nossos pés: uma aparente semelhança revela o mais profundo estranhamento de nosso próprio mundo, colocando em xeque todo o conhecimento de uma sociedade. Mas é da destruição que surge o prazer da descoberta. A narrativa detalhada, poderosa e ritmada nos desafia a correr à internet para procurar cada lugar, checar cada informação. Até o momento em que o leitor perceberá estar como Verne queria cativado e irremediavelmente curioso, ávido por entender melhor seu mundo e a si próprio.


Depois de ouvir a recomendação desse livro num podcast, a única coisa que eu queria era entrar nesse mundo de Julio Verne, tão elogiado pelos leitores e fãs. Não demorou para que isso acontecesse, e a demora foi ainda menor para que eu me apaixonasse perdidamente pelo autor, sua narrativa e personagens.  E eu não sei dizer o que amei mais!


                No inicio, achei que a leitura seria lenta.  Tudo é narrado em primeira pessoa pelo jovem, mas muito inteligente, Axel, que vive com seu tio maluco – e genial – Lidenbrock. Na verdade, excêntrico – ou apenas esquisito – seriam as palavras certas para definir o caríssimo professor Lidenbrock, que além de ser um poço de conhecimento, também é um poço de arrogância e mal humor. Mas nenhum dos dois esperam entrar numa aventura tão louca quanto a que estão prestes a fazer... Até que o professor Lidenbrock tem em suas mãos um exemplar antigo e raro de um livro, e encontra ali um papel com inscrições estranhas que não consegue decifrar. E não conseguir fazer algo já é motivo para um estudo científico, para Lidenbrock!


                No fim, depois de muitas tentativas para desvendar o código, e de quase ficarem louco por isso, enquanto sozinho Axel consegue desvendar os signos estranhos e teme pelo seu próprio pescoço e o de Lidenbrock, caso o mesmo soubesse o que estava escrito no minúsculo papel, algo referente à uma louca viagem ao centro da Terra. Imagine, que loucura, uma jornada tão grande rumo ao centro fumegante do interior do planeta! Isso era mais ou menos a mesma coisa que Axel mastigava em pensamento, enquanto rezava para todos os deuses que Lidenbrock não descobrisse nada sobre aquilo.


                Como era de se imaginar, Lidenbrock descobre. Logo, o que Axel pensou se uma loucura sem fim se concretiza: os dois estão rumando para uma longa viagem, provavelmente sem volta, indo em direção ao centro do planeta! E dai para frente, só mais loucuras e uma pergunta: onde vai dar essa viagem?


                Depois do inicio da viagem, a leitura torna-se mais rápida e necessitada. Eu estava muito curiosa para saber onde tudo aquilo daria, e comi as páginas mais rápido que uma família de traças. Mesmo gostando muito pouco de narrativas em primeira pessoa, essa era especial. Axel tem um jeito todo dele, e acaba dando graça à história, com todo seu pessimismo racional e sua covardia, que ás vezes é coragem. Sim, temos muitos altos e baixo no livro, que é bastante curto. Há momentos de puro desespero, e que você pensa que é o fim de tudo, e então tudo se resolve com um pouco de sorte e ciência.


                Do meio para o fim, você acaba amando cada uma das personagens. O professor Lidenbrock e seu jeito durão, que esconde, na verdade, um grande coração mole, até o guia de viagem deles, o Hans, com seu jeito ressabiado e calado. Todos ganharam um espaço especial em meu coração, juro! Não posso contar muito mais, já que o livro é pequeno e tem em sua essência toda essa emoção que une o perigo com a descoberta, mas digo que você realmente consegue se sentir mais um membro dessa viagem estranha e louca, graças à narrativa detalhada que Julio Verne adotou.



                No fim, apesar de parecer estranho o que vou dizer, não sei se recomendo ou não o livro. É algo muito pessoal, ele ter me agradado, e talvez tenha sido o mesmo com todos os outros fãs da obra. O fato é: a leitura pode ser bem lenta para alguns, ainda que isso soe absurdo para mim. Para quem gosta de aventura e está disposto a entrar de cabeça no livro, será uma ótima leitura, eu acho! Com certeza, lerei outras obras do autor. Que o próximo livro venha com força total.  

Um comentário :

  1. Verne tem uma escrita detalhada, não é uma leitura muito leve em minha opinião, e por isso acho que quem não tem uma certa bagagem literária, não iria gostar dos livros. Eu pessoalmente, amo Julio Verne e tudo o que ele escreveu, ainda quero ler todos além dos que já li, mas com certeza, Viagem Ao Centro da Terra é de longe o meu favorito.
    Adorei a resenha!

    http://desfocandoideias.blogspot.com

    ResponderExcluir