Resenha | Fragmenta-me (Tahereh Mafi)

Nenhum comentário

Autor: Tahereh Mafi
Editora: Novo Conceito
Páginas: 70
03 estrelas (de 05)

Sinopse: Neste eletrizante conto da trilogia Estilhaça-me, descubra o que aconteceu com os rebeldes do Ponto Ômega após lutarem contra o Reestabelecimento. Fragmenta-me é contado do ponto de vista de Adam, respondendo as principais dúvidas dos leitores após grande final de Liberta-me. Enquanto o Ponto Ômega prepara para lançar um ataque-surpresa contra os soldados do Reestabelecimento a postos no Setor 45, o foco de Adam está bem longe do campo de batalha. Ele está se recuperando do rompimento com Juliette, apavorado pela vida do seu melhor amigo e preocupado como sempre com a segurança do seu irmão James. E justo quando Adam começa a pensar se aquela vida é mesmo para ele, o alarme soa. É hora de começar a guerra. No campo de batalha, é como se tudo estivesse a seu favor – mas derrubar Warner, que Adam descobriu recentemente ser seu meio-irmão, não é fácil. O Reestabelecimento não tolera rebeliões, e por isso fará qualquer coisa para massacrar a resistência... inclusive matar a todos que são importantes para Adam. Fragmenta-me prepara o leitor para as emoções de Incendeia-me, o explosivo final da série distópica de Tahereh Mafi




 Este é mais um adicional da trilogia Estilhaça-me e dessa vez vamos conhecer parte da história pela visão de Adam, saldado desertado e possível amor de Juliette - embora eu não acredite mais nisso. Muito diferente de Destrua-me o livro não vai nos trazer uma visão melhor sobre o personagem em si mas, de suas relações afetivas principalmente com seu irmão mais novo James.

 Anova descoberta que une Warner a Adam, vem a atormentar o personagem em alguns instantes mas, não diminui a ira que sente pelo seu adversário.

 Com o fim me Liberta-me, que nos trás grandes surpresas, pequenas perguntas são respondidas e novas são feitas a respeito da relação dos personagens e seus sentimentos. Devo confessar que com a leitura não sentimos tanto a emoção e amor de Adam por Juliette e nos questionamos se ele realmente a ama ou apenas a admira, não o culpo por definir suas prioridades mas, ele nos parece muito mais conformado do que deveria está. A leitura de Destrua-me e Liberta-me são muito mais intensas do que em Fragmenta-me e me deixou completamente decidida - como se eu já não estivesse - do final que espero encontrar em Incendeia-me.

 Não dá para falar muito de um livro de 70 páginas sem grandes spoilers do que aconteceu até aqui, o que é tragicamente lamentável então, só posso reafirmar para vocês que eu não gostei tanto de Fragmenta-me quanto esperava - esperava um triângulo amoroso ardente com a visão de um dos membros tão intrinsecamente apaixonado quanto o seu , o que nos causasse confusão agonizante e ansiedade inexplicável - mas, não deixa de ser uma ótima forma de conhecer mais sobre a história.

 Beijos, Milla Almeida.

Nenhum comentário :

Postar um comentário