Resenha | Manhãs de Núpcias (Lisa Kleypas)

5 comentários
Saudações!
A resenha demorou mais do que deveria para sair, mas olha ela aqui! Foi bem dificil decidir o que, afinal, achei do romance erótico a Lisa Kleypas, mas acho que cheguei a um consenso comigo mesma. O livro faz parte de uma série publicada pela editora Arqueiro, que busca aliar o erotismo a tudo de bom do romance histórico.

Série Os Hathaways
Livro 4
Autora: Lisa Kleypas
Editora Arqueiro
272 páginas
Skoob
Nota
Sinopse:
Quando herdou o título de lorde Ramsay, Leo Hathaway e sua família passavam por um dos momentos mais difíceis de sua vida. Mas agora as coisas vão bem. Três de suas quatro irmãs já estão casadas, uma preocupação que Leo nunca teve consigo mesmo. Solteiro inveterado, ele tem uma certeza na vida: nunca se casará.
Mas então a família recebe uma carta que pode pôr tudo isso em risco: se Leo não arrumar uma esposa e gerar um herdeiro dentro de um ano, ele perderá o título e a propriedade onde todos vivem.
Solteira e sem pretendentes, a governanta Catherine Marks talvez seja a única salvação da família que a acolheu com tanto carinho. O único problema é que Leo não compartilha do mesmo afeto que suas irmãs têm pela moça.
Para ele, Catherine é uma megerazinha cheia de opinião que fala demais. Apesar de irritá-lo e quase o levar à loucura, ela é a primeira – e única – mulher com quem ele considera se casar.
Catherine, por sua vez, tem uma opinião igualmente negativa a respeito do patrão. Além disso, ela esconde alguns segredos do passado e um deles pode destruir a vida que tão cuidadosamente construiu para si.
Agora Leo e Catherine precisam um do outro, mas para vencer as dificuldades e consertar as coisas eles terão que superar as turras e as diferenças, num romance intenso e sensual que só Lisa Kleypas poderia ter escrito.




Manhãs de Núpcias, quarto livro de uma série que tem de tudo para ser clichê, não me surpreendeu tanto quanto eu gostaria. Lisa Kleypas, autora da renomada série que, apesar de estar num formato de livro comum, tem cara e jeito de romance de banca, usa e abusa de tudo que uma leitora de romance experiente já esperava achar no livro. Até onde isso é um ponto negativo, não sei bem dizer. Só digo que, de Lisa, eu esperava bem mais.


O livro conta a história de Leo e Catherine, duas pessoas que se odiavam perceptivelmente, mesmo de longe. Leo Hathaway, um arquiteto de humor ácido e passado funesto, herdou de sua família a enorme mansão e fortuna que usufrui atualmente. Em sua casa, além dele, moram também suas irmãs mais novas e os companheiros das mesmas, além dos empregados. Dentre esses empregados, está a Catherine Marks, que, apesar de ser governanta que trabalha para Leo, só falta sair na tapa com seu chefe. Isso porque, veja bem, essa família é bem diferente e todos ali tem uma relação familiar mesmo com os empregados, em principal a Cat. Cat caiu como uma luva dentro daquela família desastrada, de hábitos nem um pouco comuns e recem-chegada à alta burguesia. E Leo sabe que deve muito a jovem moça - travestida, muitas vezes, de uma mulher bem mais velha e rabugenta -, porém, ela precisava mesmo provocá-lo tanto?

É, meu jovem caro leitor, as brigas constantes de ambos tem nome e endereço: atração. E se você acha que esse é o cúmulo do clichê... Bem, é mesmo. Se tem esperança que a autora inove em algo, dentro desse emaranhado de coisas que você já sabe que vai acontecer... é... Perca as esperanças. Ela não fez isso.

Não estou dizendo que o livro é ruim. Muito menos que não me diverti com a leitura, ou que as personagens não me cativaram... Não é isso.  Só há um certo e inexplicável vazio  em Manhãs de Núpcias que me impede de dizer que amei de fato o que a Lisa Kleypas nos deu. A série de livros, em geral, tem um formato já conhecido por leitores do gênero: retrata uma família, e em cada um dos livros temos um dos membros familiares como personagem principal. Esse é um modelo já muito comum em publicações adultas, e tem se alastrado pelo mercado editorial brasileiro como um bálsamo para pessoas que - como eu - curtem mais séries organizadas desse jeito. O que Lisa Kleypas explora em sua série, no caso, é a paixão e futuros casamentos dentro de uma família muito excêntrica e que ninguém esperava casar. Os Hathaways, podemos dizer, é a definição de esquisitice, principalmente se formos imaginá-las dentro do contexto onde estavam, século XIX. Imagine uma família, numa época de vestidões e reverências, que tinham conversas pautadas em ciência e filosofia, mesmo na mesa do jantar. Até ai, tudo parecia seguir um rumo legal, até que... Bem, ela cometeu o erro mais comum de quem escreve esse tipo de romance: mudou o modo de ser dos personagens do meio para o fim.

Se o inicio do livro foi uma tempestade de brigas e troca de desaforos entre Leo e Cat, o meio do mesmo se resumiu a sexo e carinho. Com um misteriozinho aqui e ali, normalmente eu não diria que esse ponto foi algo negativo, mas temos um problema a partir do momento em que a beleza dos personagens era exatamente esse atrito que ambos tinham. E isso foi perdido! A autora tentou manter as rédeas em alguns momentos, mas em resumo Cat tornou-se alguém bem mais acessível e Leo, alguém menos disposto a discussões com a pequena mulher. Há quem goste disso, mas a leitura apenas me mostrou algo mais do mesmo. Os personagens se tornaram, por fim, meio simplórios e elevados a um clichê máximo.

Talvez eu esteja perdendo o costume por romances, chego a essa conclusão, porque, além disso, o que mais me incomodou no livro foram os diálogos. Em geral, eles são espirituosos e com um humor inteligente aqui e ali... Mas nas cenas do vamos ver, quando a temperatura já havia subido umas centenas de graus, a autora insistia em colocar aqueles dialogos do tipo “Ah, como eu acharia você linda e excitante com barrigão de grávida”. Gente. Sério. Se você for pensar bem, quem diabos diria uma coisa dessas no meio do sexo? Dialogos do tipo permeiam todo o livro, e, sinceramente, me tiraram a paciência.

Um ponto bastante positivo no livro, já que nem tudo é feito só de dores e amores, foi o passado de Catherine. Gostei bastante da personagem - quando ela de fato era ela -, e seu passado misterioso foi costurado com o resto da trama de um jeito perfeito. Todos os leitores, durante a leitura, querem saber o que de fato aconteceu com a moça desconfiada e arredia, que evita falar de si mesma ou de qualquer coisa que envolva verbos em pretérito.

Por fim, posso dizer que minhas apostas nesse livro foram altas demais. Apesar de tudo, a leitura flui muito bem, e não é desgastante. Num instante você já leu o livro todo, seja por bem ou por mal. Como esse foi meu primeiro livro lido da série, e já comecei assim com um pé meio estranho, acredito que não darei outra chance para os livros seguintes. Porém, para os leitores e leitoras que nãose immportam com esses errinhos básicos de romances mais do mesmo, pode ser que curta a leitura. O livro não nasceu para ser algocomplexo, e não podemos esperar isso dele, né? Então, romanceiras, abracem a leitura com fé que tudo vai.

5 comentários :

  1. Oi Arine, uma pena que você não gostou, uma das poucas resenhas que li que não ficaram satisfeitas com o livro. Eu ainda não conheço a série. Em relação ao diálogo citado, é verdade, é meio difícil imaginar isso na hora H.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
  2. Ola Arine, tudo bem ?
    A sua resenha está bem legal e o livro parece ter uma ótima premissa, todavia não gosto de romances e logo não me interessei muito por esse livro.
    Adorei seu blog.

    Italo T
    http://www.ler-e-ser-feliz.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. OLÁ,

    EU FIZ UM POST CITANDO ALGUNS BLOGS QUE EU COSTUMO VISITAR. O "VÍCIO EM PÁGINAS" ESTÁ ENTRE ELES. VEM CONFERIR!

    http://ymaia.blogspot.com/2014/10/top-7-blogs-literarios.html

    BEIJOS!

    ResponderExcluir
  4. Oi Arine!

    Essa série nunca me interessou. Sei lá. Nem entendo bem o porquê, mas toda resenha que li parecia que os livros faltavam algo. E também odiei o fato de terem diálogos desse tipo no meio das cenas eróticas haha Que coisa estranha!
    Sua resenha está excelente!

    Beijocas
    http://www.estantedasfadas.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Eu até gostei da sua resenha, mas eu não curto muito este gênero de livro. Eu nunca li nenhum romance de época, mas lendo várias resenhas, o gênero não me chama tanta atenção.

    Abraços!
    http://tudoonlinevirtual.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir