Harmony Clean Flat Responsive WordPress Blog Theme

Resenha | Os Livros de Esteros - Crônicas de Fedors (Aldemir Alves)

segunda-feira, março 10, 2014 Naiane Aline 18 Comments Category : , , , , , , , , ,

Saudações!
       Prontos para mais uma resenha? O livro da vez foi cedido pela editora parceira Selo Jovem e é de um escritor de fantasia nacional! Aguardo os comentários de quem já leu ou quer ler <3


Autor: Aldemir Alves
Editora Selo Jovem
380 páginas
Nota 8
Sinopse: LIVRO 1 - Fedors: — A minha consciência é atormentada por milhares de vozes e cada uma traz-me milhares de histórias, e a cada história sou o vilão condenado. Voltarei no tempo para consertar meus erros, eu quero me redimir, ofertarei o meu reino, todo o meu ouro, e também se necessário a minha própria alma.
Esteros nos leva a um mundo medieval, onde reis se tornam homens individualistas, crianças são incentivadas a fazer o bem acima de qualquer coisa, até mesmo o mal deixa de ser temido. Entretanto, a inocência é algo inevitável para um povo que só preza a paz. Vamcast o menino que desejou dominar o mundo aos 13 anos não tinha amigos e buscava constantemente o afeto do pai, cujo era um homem frio e descuidado e por esse motivo errou na criação do seu filho. Um governante descuidado traz o caos ao seu povo, mas um homem sensato precisa corrigir seus próprios erros.


Escrito por Aldemir Alves e com uma 2ª edição fresquinha, saída ainda nesse início de ano, Os Livros de Esteros – As Crônicas de Fedors tem tudo para agradar um amante da fantasia medieval. Ou quase tudo, e aqui me refiro à alguns defeitos da narrativa. Trilhar o caminho construído pelo autor em sua narrativa é algo gostoso de fazer e,  antes que você perceba, já está virando a última página do livro e desejando intensamente sua continuação.


                Paixão à primeira linha, será que isso é possível? Não foi necessário muito mais que um capitulo para que a história tomasse conta de meu coração, apesar dos erros de pontuação e inexperiência do autor em certas partes. O nosso narrador fiel e atormentado é o Fedors, um homem morto-vivo que ainda vaga pelo mundo, em estado deprimente de putrefação. Um dia, quando ele estava deitado numa árvore no meio do vazio de uma estrada deserta, chega um itinerante e, curioso, vai falar com ele. Talvez fosse somente curiosidade, para saber se o que via ali era um defunto, mas, após isso, a relação dos dois virou a de um contador de história com o seu ouvinte. Fedors, que em sua vida humana normal não se chamava assim, conta ao viajante curioso e paciente a sua história, que tem começo há muitos anos atrás.


                O mistério criado pelo autor ao redor de Fedors foi o mais instigante. A narrativa veloz, de fácil leitura e entendimento, vai nos guiando por um enredo em que os erros humanos - ou melhor dizendo, dos elfos - trazem conseqüências terríveis. Conhecemos, através da narrativa de Fedors, duas crianças filhas de um grande rei. O mundo totalmente em paz rege a maneira como os reinos se descuidam totalmente, ignorando o mal até mesmo quando ele parece estar tão à espreita. E essas duas crianças, filhas de um mesmo pai mas tratadas de maneiras muito diferentes, são o lar dessas mudanças trágicas que ocorrerão nesse mundo de paz. Se sintam apresentados ao Vamcast e Andor, filhos do grande rei Mussafar.


                Vamcast é o filho mais velho de Mussafar, e também o mais talentoso. No entanto, é um garoto arredio e não possui amigos, além de não ser dos mais simpáticos. Não há dúvidas que, em comparação ao seu irmão, é o mais forte e também o que possui o maior poder mágico... Mesmo assim, o pai dá todo seu amor ao Andor, que é mais parecido com ele e também mais simpático. Ao Andor é reservado o verdadeiro sentido de família, enquanto Vamcast, com o passar dos anos, vai perdendo sua ingenuidade e enxergando-se como inferior ao seu irmão mais novo. Aos poucos, a benevolência de Vamcast vai sendo substituída pelo ressentimento e inveja, tornando o garoto um terreno suscetível ao mal.


                Um ponto trabalhado pelo autor antes mesmo da história começar, em sua apresentação, me agradou bastante. Ele diz, e enxergamos isso com o passar das páginas de seu primeiro livro da série, que a sociedade cria seus próprios monstros. Ninguém nasce mau. Vamcast é um produto de seu lar desequilibrado e falso, cheio de cobranças sem sentido e falta de bom senso do pai. E, a falta de atenção de Mussafar é sentida por todo o mundo quando, mesmo alertado por alguns instrutores de Vamcast, o rei ignora o modo retraído e comportamento quase maligno do garoto. O autor, por meio de Fedors, nos narra o caminho traçado por Vamcast até que ele chegue onde chegou: rei dos Orcs, criaturas abomináveis e maléficas.


                A última página do livro foi o estopim para a explosão de curiosidade para as próximas obras. Saber quem Fedors é tornou-se um desafio, e não foram poucas as vezes que eu pensei: Será que Vamcast é o Fedors? Ou o Andor? Ou Mussafar?Ou... Enfim! O mistério foi muito bem colocado pelo autor,mas, desde já, amamos esse narrador-incógnita. E todo o clima medieval e mágico ao redor da história é quase encantador, apesar da descrição do autor ser falha algumas vezes. Aliás, esse é um dos pontos que prejudicou um pouco o livro de uma maneira mais geral. Os erros de pontuação no texto aliados à uma narrativa ainda verde, com descrições de ambiente e personagens meio falhas, foi apenas o que me fez não adorar completamente o livro, que tem uma história tão fantástica!



                Fantasia, ação, diversas cenas de batalha e romance. Essas são apenas umas das características dessa obra nacional que, se por um lado não me alegrou tanto (como os defeitos na narrativa já ditos), por outro me fez totalmente apaixonada por suas personagens e enredo contagiante. Só me resta uma pergunta: quando terei o próximo livro da série em mãos?

Obs.: Uma salva de palmas para a editora, que fez uma edição maravilhosa, cheia de imagens ilustrando alguns dos capítulos!  

RELATED POSTS

18 viciados comentaram

  1. Uau!! Perfeito. Conheço muitos que só por saber que é nacional desistiria de ler, eu na verdade fiquei bastante ansiosa para contemplar a obra. Amei. Eu quero!!!

    Beijos.
    http://livrosporumbeijo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, pode se jogar que o livro tem uma premissa muito boa! Recomendo <3

      Beijoss

      Excluir
  2. Já vi alguma resenha sobre esse livro, mas a sua foi a melhor de todas. Adorei a forma como você induziu a gente a querer ler esse livro.

    Mas você notou que essa parte inferior do rosto desse cara, que é o mesmo do rosto daquele de EASY ? Eu vim um dia desses em um blog, achei bem interessante. kkkk
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola! Que bom que curtiu a resenha <3 E recomebdo o livro, viu?

      Quanto a capa... hahahahaha Ainda bem que nao fui a unica que notei! Inicialmente ate achei que tava louca, mas depois peguei o livro pra comparar e... LOL

      Beijos, flor!
      Obrigada pelo comentario!

      Excluir
  3. Oi Arine <3

    Antes de mais nada, epaaaaaaaaaaa, achei um Easy aí? haha
    Ter Elfos nessa história já me conquista muito. Gostei muito da resenha! Super positiva e instigante, até demais mocinha haha Fiquei super curiosa.

    Beijos
    http://www.estantedasfadas.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahahaaha o carinha do Easy tá em todo canto lol

      Ahhh, que bom que gostou da resenha! Eu tambem tenho uma queda por elfos. Acho que vc curtirá a obra!

      Obrigada pelo comentario... Beijosss <3

      Excluir
  4. Poxa, fiquei bem curiosa. Eu tenho um ~preconceito~ contra obras nacionais ~coisa que estou tentando tirar de mim u_u~ A história parece legal e xonei na capa :33 Lendo a sua resenha, lembrei da série A torre negra, do King ~que, a propósito, tenho que terminar de ler~
    Kessus

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hora de perder esse preconceito, hein, mocinha!
      A historia é bem legal, sim! E eu amei a capa tambem... sem contar as imagens dentro do livro, que sao divas!

      Beijossss, flor *0*

      Excluir
  5. Nossa Naiane, eu gostei muito dessa resenha, não porque foi positiva, mas sim porque relatou tudo o que eu quis passar ao leitor. O mistério de Fedors, a angústia de Vamcast, a dor de Mussafar... É incrível como você soube absorver tudo isso!

    Todo autor sabe quando o leitor se entregou de verdade a leitura, não a dúvida que você foi analítica ao lê-lo, mas ao mesmo tempo que analisou as falhas procurou absorver a trama, e mais importante: se divertiu com a leitura.

    Estou muito feliz em agradá-la! Espero que possa ler o segundo livro com o mesmo entusiasmo que leu esse =D

    Abraços literários!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá!
      Fiquei muito feliz em saber que gostou da minha resenha, Aldemir! E, sim, pode ter certeza que seu livro me pegou de jeito!

      Espero que faça muito sucesso
      Abraços <3

      Excluir
  6. Eu não conhecia essa série, mas parece ser bem diferente e interessante.
    Gostei muito da resenha.

    Beijos.

    http://livrosleituraseafins.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Olá Arine!
    Fico feliz que tenha gostado do livro!
    Infelizmente, não é muito meu estilo de leitura... Não sei se gostaria de lê-lo.
    Mas adorei a sua resenha :)
    Beijos,
    Ana M.
    http://addictiononbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Ainda não li este livro, mas fiquei muito interessada, parece ter os elementos muito bem usados. Adoro estórias que mesclam fantasia, ação, diversas cenas de batalha e romance e o enredo parece ser cativante! Fiquei com vontade de ler também! :)
    beijos ♥

    ResponderExcluir
  9. Tava amando o livro até você dizer "é quase encantador" kkkkkk. De qualquer forma, acho que darei uma chance para ele!
    Adorei, beijos.
    http://livrosporumbeijo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Ainda não tinha visto esse livro, mas só pela tematica vale dar uma chance. Uma pena que você disse que a narrativa contem alguns defeitos :/

    ResponderExcluir
  11. Oi, essa é a primeira resenha que vejo desse livro e agora eu tenho certeza, ele é bom, é uma pena que tenha erros, mas temos que dar um desconto né, ele é novo, porém o importante é que a historia é encantadora.
    Beijos!!!

    ResponderExcluir
  12. Erros de pontuação é culpa da revisão. o.o
    Eu mesma sou um desastre com concordâncias, kk. Mas se espera que a Editora não seja, kk.

    ResponderExcluir
  13. eu li esse livro e achei incrivel, um dos poucos nacionais que conseguiu me tirar um sorriso, e um "nossa"! é um livro cheio de coisas legais com esporte próprio e muita magia! o melhor livro de fantasia nacional que li disparado...

    ResponderExcluir