Resenha Premiada | Adeus à inocência (Drusilla Campbel)

28 comentários
Saudações!
          No primeiro post do ano temos resenha e - surpresa! - promoção. Quem quer? Para concorrer ao livro Adeus à Inocência e um kit de marcadores, basta preencher o formulário e comentar nesse post!

Adeus à InocênciaAutora: Drusilla Campbell
Editora Novo Conceito
270 páginas
Nota: 7.5
Sinopse:  Madora tinha 17 anos quando Willis a “;resgatou”;. Distante da família e dos amigos, eles fugiram juntos e, por cinco anos, viveram sozinhos, em quase total isolamento, no meio do deserto da Califórnia. Até que ele sequestrou e aprisionou uma adolescente, não muito diferente do que Madora mesmo era, há alguns anos... Então, quando todas as crenças e esperanças de Madora pareciam sem sentido — e o pavor de estar vivendo ao lado de um maníaco começava a fazê-la acordar —, Django, um garoto solitário, que não tinha mais nada a perder depois da morte trágica de seus pais, entrou em sua vida para trazê-la de volta à realidade. Quem sabe, juntos, Django, Madora e seu cachorro Foo consigam vislumbrar alguma cor por trás do vasto deserto que ajudou a apagar suas vidas?


Começar a resenha com uma confissão, talvez, seja o mais adequado. Eu esperava mais da Drusilla e sua narrativa, bem mais. Ao mesmo tempo em que a autora cumpria com o que eu esperava, que era uma romance psicológico, ela também me decepcionou em outros pontos. Adeus à inocência possui um ótimo enredo, no entanto, algo incomoda. E eu vou te dizer o que é.

                Drusilla Campbell queria construir um romance intrincado, que mostrasse as diversas facetas do atual e do passado das suas personagens, embaralhando todas elas num contexto maior e mais assustador: o sequestro. Num livro em que vilão e vítima não podem ser acusados de primeira, acompanhar a história de Madora, Willis e Django chega a ser um pouco angustiante em diferentes níveis e momentos. E o estopim disso tudo foi numa pequena cidade do Arizona, no sudoeste dos Estados Unidos, onde uma jovem Madora já aprendia que a vida era simplesmente fácil para alguns e extremamente difícil para outros. E ela tinha certeza que fazia parte desse último grupo, o dos desafortunados. Saber que seu pai deu um tiro na própria cabeça e ouvir a mãe criticá-la exaustivamente foi apenas dois dos fatores que confirmavam para a garota que a sorte não era um de seus atributos. Até que ela conheceu Willis. A figura de salvador e algoz num homem só. O homem que ela amava. Pena que ela não percebeu sua face mais obscura - sua sociopatia.

                A história segue rumos cada vez mais complicados, a partir daí. Amor e submissão são coisas que se confundem na mente jovem e carente de Madora. E a autora enfatiza essa confusão de conceitos e valores durante sua narrativa dirigida em 3ª pessoa. Cada uma de suas personagens recebe o foco da narrativa em algum ponto do livro, e estas (as personagens) não são poucas. Apesar dos principais aparentarem ser Madora e Django, atenção especial também é dada para Willis e Robin, tia de Django. Alternando entre o passado difícil de todas as personagens e o presente, a autora cria uma oscilação entre a curiosidade e confusão. E isso não foi algo muito bom, apesar de parecer. Vários trechos do livro eram muito confusos, cenas se atrapalhando com outras, passado e presente deixando o leitor desorientado e sem saber dizer o que era o que. E isso prejudica, sim, a leitura de algo que seria um bom enredo. A autora pula de cenas do passado para o presente tão rápido e sem aviso, que, ás vezes, é necessário voltar a ler algum trecho.

                Willis é a figura chave de todo o jogo, apesar de não ser o personagem principal. Manter Madora cativa dentro de casa, no meio de um deserto, pode parecer doentio – e é. Manter outra garota, e esta grávida, presa num trailer no fundo da casa é apenas confirmar que o homem em nada age com humanidade. E a autora põe isso em cheque. Acreditem, ela põe, ou tenta. Nos trechos em que temos contato com os pensamentos de Willis e seu passado complicado, com uma irmã assassinada por um namorado violento, percebemos que o cara é mais doente que criminoso. Ele realmente acredita que manter  Madora e Linda, a outra garota, presas é um tipo de ato caridoso, puro. Bondoso. E essa ilusão é passada para Madora, que considera o cara um anjo e apóia todos seus atos. Até que... bem, até que chega Django, um jovem de 12 anos que, contra todas as possibilidades, faz amizade com Madora. De repente, a moça percebe que todos esses anos passados com Willis foram uma mera ilusão, enxerga o monstro por trás do homem e faz o que acha que deve fazer: foge.

                O leitor não sabe o que acontecerá com as personagens, mesmo após o fim do livro. O destino de Madora, a garota ingênua que aprendemos a amar, não está definido nem mesmo nas entrelinhas do final. Parece que falta algo, apesar de estar tudo ali. Esperar um “felizes para sempre” seria inocente demais, mas era meio o que eu esperava. Ou precisava. O fato é que evitar o final muito triste ou feliz demais tornou o livro menos impactante. Não fez rir ou chorar, apesar de prender muito o leitor à história.

                Um ótimo enredo dentro de uma péssima narrativa. Gosto dessa pegada psicológica num livro, nos dando a visão do âmago do mocinho e vilão. Gosto tanto, que fui engolida completamente pelo livro. No entanto, a autora é confusa . Talvez ela não tenha a maturidade (como escritora) para passar o quão profunda e louca é essa relação entre sequestrador e sua vitima, depois de alguns anos.


A leitura não é de toda ruim. A autora soube nos fazer entrar no universo particular de cada uma das suas personagens complicadas, e isso me fez gostar um pouco mais do livro. Com uma história espetacular, personagens reais e uma narrativa frágil, me digam, como eu deveria dar nota a essa obra? Não gostei nem odiei. Por isso, acho que fica ao critério de cada um ler Adeus à inocência. Você pode gostar ou não. Só te prometo que a história ira te sugar até sua última página e, talvez, isso seja o bastante. 

Concorra ao livro e um kit de marcadores


Regras:
*Preencher corretamente o formulário
*Fazer um comentário nesse post

Prêmios:
1 livro Adeus à inocência
1 kit de marcadores
2 imãs personalizados "Keep Calm and love Travis Maddox"  <3
1 marcador As Duas Faces do destino autografado pelo autor
Obs.: Não é obrigatório seguir o blog, mas, caso siga, ganhará chances extras!



28 comentários :

  1. Já li uma resenha que dizia algo parecido sobre esse livro, mesmo assim fiquei interessado.
    Gostei muito da capa e também da sinopse.
    Beijos!!!

    http://ymaia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá! É possível que vc goste da história! Eu, particularmente, amo esses dramas com um teor mais psicológico...

      Beijos!

      Excluir
  2. O livro me lembrou bem pouco Stolen, o qual eu amei, você já leu? Não lembro.
    Mas pelo visto fica aquela coisa mais ou menos, eu gosto de livros com final e pelo que entendia fica uma interrogação nele.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não, nao li esse, ninha! Quanto ao final, é, ele fica um pouco em aberto, principalmente para a Madora...

      Vou passar em seu blog *-*
      Beijos

      Excluir
  3. Nossa!
    Super vontade de ler!
    Espero ganhar
    Beijinhos
    Rizia - Livroterapias

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá! *-* O livro é legal, acho que você vai gostar!
      Boa sorte
      Beijo!

      Excluir
  4. Não estou tão certa de que vou gostar do livro, mas quero dar uma chance por dois motivos: gosto de dramas psicológicos e de histórias que não ficam no superficial dos personagens.
    Por essas e outras, tenho a impressão de que vou ser surpreendida positivamente!
    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se gosta de dramas psicológicos, provavelmente curtirá o livro! Justamente por isso gostei da história :D

      Beijos e boa sorte, sumida <3

      Excluir
  5. Romance já é um estilo que eu não sou fã.
    Um final sem 'final' também não me agrada, mas vou participar para ganhar o livro e ver se acabo com esse meu preconceito,ou no pior dos casos, confirmo esse meu conceito.

    Teoria Literal

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Entendo o que quer dizer! Eu também evito drama cm final inconcluso, mas arriscar de vez em quando é bom hahaha
      Vou dar uma passada em seu blog, nunca mais tinha ido lá *-*

      Abraços!

      Excluir
  6. Achei o tema interessante, tenho dó do tanto que essa moça deve ter sofrido... com ainda não li o livro não dá pra saber direito, mas depois de sua resenha quero muito ler!
    bjos
    nome no formulário: Luuh Ferreira

    ResponderExcluir
  7. Parece que várias pessoas que leram esse livro sentiram falta de algo bem construído na narrativa.
    Toda vez que leio uma resenha desse livro me lembro de outro: "Stolen- carta ao meu sequestrador" (você já leu?). Pelo menos, do que falam de Willis acho um pouco parecido.

    Beijooos

    ResponderExcluir
  8. Não conhecia o livro, gostei da forma que fez a resenha, só nesse início já me deixou super curiosa sobre a escrita e a história. E alias, você escreve MUITO bem! Gostei da resenha e da sua sincera opinião, confesso que fiquei meio atrás com isso da narrativa, mas a história parece ser realmente interessante, quem sabe não ganho no sorteio e possa dar minha opinião sobre, né? Vou participar!

    Obrigada pelo carinho. Beijos :*
    Claris - Plasticodelic

    ResponderExcluir
  9. Eu ainda estou indecisa quanto a esse livro. Quero ler, mas ao mesmo tempo não sei. Sua resenha me fez ficar curiosa quanto ao livro, mas ainda assim ainda não sei.

    Beijos.

    http://livrosleituraseafins.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Não parece ser o tipo de leitura que estou acostumada mas, o mistério com os personagens chamou muito a minha atenção.

    Beijos.

    http://livrosporumbeijo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Olá Arine, tudo bem??
    Primeiro queria te parabenizar pela resenha do livro,pois já li algumas resenhas do livro e a maioria delas relatam a mesma coisa em relação ao texto e que apesar do livro ter um tema super interessante a forma da escrita acaba não sendo tão "explorada". Mas mesmo assim confesso que tenho muito curiosidade de conferir esta historia e saber como será o fim desta trama cheia de personagens e atitudes que não sabemos o real significado e como será o final delas.
    Beijos =)

    ResponderExcluir
  12. Desde que eu vi este livro eu tenho uma curiosidade enorme em relação a ele, mesmo depois de saber que você não gostou tanto assim e de ler algumas resenhas mais negativas sobre ele eu ainda me sinto motivada a lê-lo, por mais que eu possa me decepcionar. =)

    Laura Zardo
    laura_zardo@yahoo.com.br

    ResponderExcluir
  13. O livro parece ser muito bom!! Participando!!

    ResponderExcluir
  14. Parece que esse livro é daqueles que a gente vai amar e odiar ao mesmo tempo. A historia parece ser boa, mas, parece ser um livro confuso.

    ResponderExcluir
  15. Gostei da ideia do livro, mas fiquei em duvida com algumas resenhas que vi. Parece valer a pena, no entanto. Um livro com bom tema, personagens bem delineados, mesmo que deixe a desejar em algumas partes. Gosto de livros que não são previsíveis e com isso parece que posso contar, espero que seja bom nesse aspecto.

    ResponderExcluir
  16. Não é a primeira resenha do livro de Drussila que leio e me surpreendo. Há quem diga que não é um livro muito bom, mas apesar de ainda não ter tido a oportunidade de ler, tenho boas expectativas para ele. O que me intrigou, no entanto, é o fato de o leitor não saber o que acontece com Madora no final... de qualquer maneira, estou louca para ler esse livro!

    ResponderExcluir
  17. Meu Deus, sua resenha aumentou minha vontade de ler esse livro!!! Participando da promo (;

    ResponderExcluir
  18. Amei a resenha e estou participando do blog e da promoção... tenho um blog literário tambem, de uma passadinha la se possivel

    ResponderExcluir
  19. A história parece ótima, mas pena que o desenvolvimento dela é meio confuso. Mesmo assim gostaria muito de conhecer essa obra.

    ass: Shadai Vieira

    ResponderExcluir
  20. Oi adorei sua resenha!.. muito obrigado, me fez se interessar pelo livro....mas vc já leu o livro reverso escrito pelo autor Darlei... se trata de um livro arrebatador...ele coloca em cheque os maiores dogmas religiosos de todos os tempos.....e ainda inverte de forma brutal as teorias cientificas usando dilemas fantásticos; Além de revelar verdades sobre Jesus jamais mencionados na história.....acesse o link da livraria cultura e digite reverso...a capa do livro é linda ela traz o universo de fundo..abraços. www.livrariacultura.com.br/scripts/resenha/resenha.asp?

    ResponderExcluir