Resenha | Stardust - O Mistério da Estrela (Neil Gaiman)

5 comentários
Autor: Neil Gaiman
Editora Rocco
282 páginas
Nota: 9
Sinopse: Tristan ama a jovem mais bela do vilarejo de Muralha. Para ser correspondido, ele atende aos caprichos da moça e lhe faz uma promessa quase impossível de cumprir. Uma estrela cadente que ambos vêem cair do céu valerá a mão de Vitória em casamento.
A determinação de trazer a estrela para o vilarejo fará com que o rapaz burle todas as regras e siga para a Terra Encantada, onde supostamente a estrela está. Então, Tristan se vê cercado por piratas voadores, gnomos guerreiros, bruxas esquisitas e sedentas por beleza e princesas do mal. Um mundo de magia está diante dele e tem início um conto de fadas surpreendente e nada convencional.
Neste lugar, os caminhos podem ser belos e sombrios, tristes e alegres, suspeitos e óbvios, mas sempre cheios de segredos. E todos, não só Tristan, estão em busca daquela que parece guardar a solução para todos os problemas do reino mágico. Acontece que a estrela está triste e sem esperança. O maior desafio do jovem apaixonado, então, será fazer a estrela brilhar novamente.


Que Neil Gaiman é um gênio, todos sabem; mas realmente ele conseguiu me surpreender com Stardust – O Mistério da Estrela. Autor de diversos livros adaptados para o cinema, dentre eles o próprio Stardust, Gaiman sabe muito bem como dirigir o leitor numa leitura cheia do inesperado. Não adianta tentar prever o próximo acontecimento: os fatos são desviados e criados de tal maneira, que a surpresa é um resultado óbvio, inclusive nos livros que basearam filmes que você já assistiu um trilhão de vezes. Eis aqui o meu caso.

"- Você é jovem e está apaixonado - disse Primus. - Todo rapaz em sua posição é o rapaz mais infeliz que já existiu."

A história do livro conta as aventuras de um jovem rapaz que mora no vilarejo de Muralha, o Tristan. Apaixonado pela moça mais bonita das redondezas, ele faz uma promessa maluca na noite em que uma estrela cai do céu: se ele conseguir pegá-la, Vitória, a jovem e bela moça, aceitará realizar qualquer pedido seu. E assim começa as aventuras de Tristan Thorn, o garoto de origens não tão humanas e comuns quanto parece. Sair de Muralha revela ao rapaz não só as raízes estranhas de seu passado, como também um mundo novo, diferente e totalmente mágico, que está do outro lado da muralha que cerca seu vilarejo. A saída de Tristan de Muralha, assim como a saída de seu pai quando o mesmo era também jovem, nos faz caminhar pelo mundo surpreendente criado por Neil Gaiman.

As diferenças entre o filme e o livro já começam desde o inicio. Detalhes importantes tornaram o livro muito mais mágico (e desculpe o exagero no uso dessa palavra) que o filme, que também teve suas mudanças para acrescentar aqui e ali um toque de humor – e loucura. O fator mais inusitado de todo enredo, talvez, seja perceber que a estrela caída nada mais é do que uma mulher. Isto é, fora dos limites de Muralha, a estrela que caiu do céu obedece às leis mágicas daquele mundo, e, por isso, ela é uma mulher tal como eu ou sua mãe.

"- Não é difícil possuir uma coisa. Ou tudo. Você só precisa saber que ela é sua e depois estar disposto a se desapegar dela." 

 E, andando lado a lado com essa história principal, temos ainda uma outra que acrescenta mais ação ao filme e mais riqueza ao livro: a luta entre os príncipes pela posse do trono do reino mágico que está além-Muralha, o Sthone Hold. Envenenamentos, mortes, planos loucos... Estes devem ser os príncipes mais gananciosos do mundo da fantasia, sério, rs. Além disso, bruxas muito velhas que utilizam do coração de estrelas para se tornarem mais jovens estão atrás da mesma estrela caída que Tristan está à procurar. Imagine a confusão, então: para um dos príncipes ser nomeado rei, precisa ter a estrela consigo; para Tristan conseguir um desejo seu, precisa da dita cuja; e para as bruxas voltarem a ser jovens, necessitam do coração da estrela!

Todas essas personagens e diferentes enredos são costurados com muita maestria por Gaiman, que não deixa passar pontas soltas e nem faz essa mistura meio louca de histórias ficar parecendo um “Frankstein literário”. E dentro desse bolo cabe de tudo: magia (olha essa palavra de novo...), romance, luta por trono à la game of thrones (e isso é sério), árvores falantes, estrelas que parecem seres humanos, piratas que navegam no céu... Enfim, só posso dizer que, em termos de fantasia + maluquice, ninguém supera o Neil Gaiman.  

"Pois não há como competir com o mar pelo afeto de um homem, já que o mar é tanto mãe como amante, e com o tempo também há de lavar seu cadáver, lavá-lo para que se transforme em coral, marfim e pérolas."

Enxergar como todas as personagens interagem umas com as outras é bastante legal. Elas movimentam a história de uma forma interessante, dando um tom cômico e pitoresco em muitas das cenas. Tristan e Ivaene, a estrela, possuem uma relação de amor e ódio que é fofa na medida certa, sem transformar a história em uma aventura melosa. No entanto, isso pode ter se transformado no principal defeito do livro: o final pareceu abrupto, corrido, e talvez até um pouco impensado. Como o casal principal não dava mostras claras de um romance, o fim do livro soou um tantinho forçado e as soluções de certos problemas saíram tão do nada que, ok, eu fiquei com uma cara meio “WAT” (como aquele meme do facebook, sim).


Segundo livro escrito por Neil Gaiman, Stardust é realmente uma boa obra. Apesar de seu tamanho diminuto e leitura rápida, a história é densa e bem detalhada. Como fã de carteirinha do filme homônimo, lançado em 2007, ler a obra que o originou era uma obrigação, mas, de fato, eu não esperava nada muito novo – e levei um tapa na cara, rs. O livro e o filme são iguais em alguns aspectos, mas estes são tão poucos que podem ser ignorados. No entanto, Neil Gaiman conseguiu um grande feito: fazer com que eu gostasse tanto do livro quanto do filme, em igual proporção, mesmo ambos sendo tão diferentes.  E viva à fantasia louca do mestre Gaiman!

"-Porque - anunciou Tristan - todo enamorado, no fundo do coração, é um enlouquecido e, na cabeça, um menestrel."

5 comentários :

  1. Neil Gaiman é apenas divo absoluto, hehe. Gosto muito do filme também e acho que isso me influenciou a gostar muito do livro quando li. Enfim, é um bom livro e recomendo a leitura. Parabéns pela resenha.

    Um abraço,
    http://oepitafio.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oi San.

    Estes não é meu estilo de livro preferido, mas gostei de sua resenha e pode ser que venha a lê-lo um dia.

    Beijos da Fê :*
    http://fernandabizerra.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Gostei da sua resenha, fiquei com muita vontade de ler esse livro, pois a historia me atraiu muito.

    Bjs
    http://infinitoparticulardoslivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. aawn sou louca para ler esse livro, sou apaixonada pelo filme, é um dos melhores que eu já vi, ameei sua resenha! *-*

    ResponderExcluir
  5. Olá Arine!
    Adorei sua resenha *-*
    Gostaria muito de ler, parece ser maravilhoso! Realmente.
    Ainda não li nada do autor, mas parece que vale muito a pena.
    Beijos,
    Ana M.
    http://addictiononbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir