Resenha | Divergente (Veronica Roth)

3 comentários
Hey, pessoas :)
          Aqui vai mais uma resenha que eu fiz de tudo pra ser perfeita assim como o livro é.
        Antes de ler Divergente, fui procurar informações e achei muitas coisas legais o que me deixou mais ansiosa para ler o livro. Também encontrei comparações entre o livro e Jogos Vorazes ... coisa que é muito idiota, porque cada livro é uma historia e nada a ver esse povo ficar fazendo certas comparações.



 Autor: Veronica Roth.
Editora Rocco
  Paginas: 502.
Sinopse:Numa Chicago futurista, a sociedade se divide em cinco facções – Abnegação, Amizade, Audácia, Franqueza e Erudição – e não pertencer a nenhuma facção é como ser invisível. Beatrice cresceu na Abnegação, mas o teste de aptidão por que passam todos os jovens aos 16 anos, numa grande cerimônia de iniciação que determina a que grupo querem se unir para passar o resto de suas vidas, revela que ela é, na verdade, uma divergente, não respondendo às simulações conforme o previsto. A jovem deve então decidir entre ficar com sua família ou ser quem ela realmente é. E acaba fazendo uma escolha que surpreende a todos, inclusive a ela mesma, e que terá desdobramentos sobre sua vida, seu coração e até mesmo sobre a sociedade supostamente ideal em que vive. 

    Para você entender a incrível historia que Veronica Roth fez, você precisa primeiro conhecer as cinco facções, onde as pessoas são divididas de acordo com sua forma de pensar.

Os que colocavam o bem estar das outras pessoas em 1º lugar, ocupavam a Abnegação
Os corajosos capazes de enfrentar seus medos, ocupavam a Audácia
Os que acreditavam que a verdade deveria sempre ser dita, ocupavam a Franqueza
Os que acreditavam que a união faz a força, formavam a Amizade
Os que colocaram a inteligência como a arma mais poderosa, formaram a Erudição

       A nossa heroína da vez é Beatrice Prior, só que esqueça esse nome pois depois ela vai passar a se chamar Tris, que, por sinal, combinou perfeitamente com ela.

       Tris é uma das garotas mais legais que conheci no mundo dos livros, ela não tem nenhum poder especial, nem é a mais forte ou muito corajosa. Dentro da Tris há desejo... um desejo de enfrentar seus medos e se tornar uma garota destemida.

         O desenvolvimento da historia é incrível, por isso não vou dar muito detalhes pra vocês. Quando lerem compreendam com seus próprios sentidos.

          E como não pode faltar romance, nossa Tris vai se apaixonar logo pelo Quatro, um cara durão que mesmo gostando da Tris, não vai dar moleza pra ela.

       Há grandes diferençaras entre as facções, o que deixa claro que essa "paz" pode ser a qualquer momento abalada... e nossa heroína é a líder de uma revolução que ainda nem começou, mas que já deixa rastros de destruição e vingança.

         E para vocês não ficarem tão perdidos, a Tris é Divergente... mas o que significa ser divergente dentro da historia no livro? Bem, vou dar uma pequena explicação pra vocês: Tris não pensa só de uma forma, então ela não pertence a uma facção específica... ela não pode ser controlada... ela é um perigo pra algo que já é frágil demais.

Nota:

  Obs.:  Já foi lançando no Brasil o segundo livro dessa saga, e o terceiro vai ser lançando esse ano... Então, quando ler os outros, faço resenha e posto pra vocês.

  Obs2.:  Divergente já está sendo adaptado aos cinemas e, para mim, se eles seguirem o máximo o livro, com certeza vai ser um dos maiores sucessos.


Beijos e até mais !

3 comentários :

  1. Oie :)

    Nossa eu também gostei muito de Divergente o mundo que a autora criou deu um tom a mais nas distopias sei lá, amei <3

    http://euvivolendo.blogspot.com.br/ ( comenta lá :D )

    ResponderExcluir
  2. Amoo distopias e já vi muita gente elogiando Divergente, então quero muito ler!! Na sua resenha deu pra perceber um pouquinho desse mundo, quero muito mergulhar nele!

    ResponderExcluir
  3. Ameeeei essa distopia! <3
    E já estou super ansiosa para assistir o filme!

    :*

    ResponderExcluir