Li até a pág. 100 | Simplesmente Ana (Marina Carvalho)

3 comentários
Saudações!
        E a coluna Li até a Pág.100 está de volta! xD' Dessa vez, temos aqui uma obra nacional, lançada pela editora Novo Conceito. Confiram, confiram.


Primeira frase da página 100:
“Com certeza essa foi uma tentativa de deixar bem claro que Alexander não dava a mínima para mim.”


Do que se trata o livro?
Ana foi criada por uma mãe solteira e não acreditava que, depois de completar 20 anos, um homem deixaria uma mensagem (uma frase) tão estranha pelo facebook: “Desculpe, mas acho que sou o seu pai”. E esse foi apenas o inicio da surpresa! Ela não apenas tinha um pai, como também ele era estrangeiro e rei – o que torna nossa simples Ana em uma princesa, certo? Convencida a passar alguns meses no país de seu progenitor, tanto para conhecê-lo melhor quanto para dar uma chance a esse relacionamento que ela não imaginava que um dia teria, ela deixa para trás seus amigos, um quase-namorado e as belezas de sua terra natal, o Brasil. No entanto, ao chegar em território krósvio e se deparar com o filho postiço de seu pai, Ana percebe que sua vida após aqueles breves meses será tudo, menos a mesma.


O que está achando até agora?
Minha relação com o livro já começou um pouco estranha... Assim que li a sinopse, lembrei de O Diário da Princesa, da Meg Cabot, e isso me fez pensar se valeria a pena ler um livro que tinha tanta cara de “cópia” de outro. Porém, assim que li as primeiras páginas, percebi  que a similaridade ente os livros está só vagamente no enredo. Demorei um pouquinho para pegar o ritmo do livro, por motivos que não entendo exatamente (acho que a falta de tempo contribuiu), e acabou que até comecei a gostar da protagonista, haha.


O que está achando do protagonista? 
O legal da Ana é que ela tem seus 20 anos, então já passou daquela fase de “dramas infinitos” que acompanha as protagonistas de livros teens. A narrativa, que é em primeira pessoa, também torna-se mais “madura” por conta disso, sem, no entanto, perder o tom certo de diversão. Acho que daqui para o final do livro eu defino melhor o que sinto pela Ana, haha.

Vai continuar lendo?
Sim! [:


Última frase da página:
“- Peraí! Eu não vou ter que usar nenhum vestido repolhudo, né?”

3 comentários :

  1. Eu estou com esse livro para ler Naia, então espero que você goste.

    ResponderExcluir
  2. Oi, Nai ><
    Então, eu não tenho nenhuma expectativa e vontade de ler essa obra, sei lá, ta na cara que é uma copia mais xinfrim dos livros da Cabot. Valeu a intenção, faltou originalidade rsrs
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Rindo com a última frase "Vestido repolhudo" ahahaha Simplesmente Ana está na pilha de futuras leituras pra mim também :)

    Beijos,
    Jhey
    www.passaporteliterario.com

    ResponderExcluir