Resenha | Obsessão (Maya Banks)

10 comentários
Saudações!
               Enfim, depois de uma luta psicológica árdua, fiz a resenha da semana! rs' 


ObsessãoAutora: Maya Banks
Editora Quinta Essência
384 páginas       
Sinopse: Gabe, Jace e Ash são três dos homens mais ricos e poderosos do país. Eles estão acostumados a conquistar tudo o que querem. Tudo. Para Gabe, tudo significa realizar uma fantasia particular com uma mulher que era um fruto proibido - e que agora está pronta para ser colhida... Quando Gabe Hamilton viu Mia Crestwell entrar no salão na inauguração de seu hotel, sabia que iria para o inferno pelo que tinha planejado. Afinal, Mia é irmã de seu melhor amigo. Contudo, não é mais uma menininha. E Gabe já esperou muito tempo para colocar seus desejos em prática. Gabe já fez parte das fantasias de Mia há muito tempo, desde que era apenas uma adolescente com uma "paixonite" pelo melhor amigo de seu irmão. Mas o que pode acontecer 14 anos depois? Mia sabe que Gabe é como um sonho inalcançável, mas sua atração só fez aumentar ao longo do tempo. Agora ela é adulta, e não há motivo para não agir de acordo com seus desejos mais secretos.


Maya Banks não é um nome desconhecido na literatura erótica, principalmente fora do Brasil; o que impressiona, realmente, é uma de suas obras serem lançadas aqui. Porém, se eu esperava ver toda a identidade autoral da Maya brilhar em Obsessão, me decepcionei. De fato, o que vemos aqui é um livro que segue o modismo dos anteriores: sadomasoquismo, contratos (sim, igual aquele de 50 tons de cinza...) e vulgarismo excessivo, totalmente desnecessário. É, Maya, parece que não foi dessa vez...

                Obsessão é o primeiro livro de uma série e narra a história de Mia e um dos melhores amigos de seu irmão mais velho, o Gabe. Eles se conhecem desde muito jovens, e Mia alimenta uma paixão unilateral pelo rapaz desde a adolescência... porém, por ser amigo e parceiro de negócio de seu irmão, conquistar Gabe parecia algo impossível. O homem, por sua vez, sempre vira Mia como apenas a irmãzinha de seu melhor amigo, e, mesmo quando começou a sentir desejo por tocá-la de maneira romântica, isso parecia muito errado. Um dia, no entanto, Gabe decide que é hora de pôr fim naquele martírio, e começa o seu jogo de sedução para conquistar a mulher que ele quer há tanto tempo (sem imaginar que o mesmo acontecia com ela).

                O problema do enredo, realmente, nasce ai. Gabe é mais um daqueles mocinhos machistas e que acham que empregar dor na pessoa “amada” é excitante. Acho que isso, dentro do restante contexto da história, era algo totalmente desnecessário. Maya tem uma maneira de guiar a história muito agradável, e seus livros não costumam seguir modismos; então, quando percebi para onde a história estava caminhando, me senti decepcionada. Apesar disso, o livro possui uma narrativa bem rápida e gostosa de ser lida, o que faz com que a leitura termine em pouquíssimo tempo – mesmo quando você não curte tanto o enredo, como aconteceu comigo.

                O romance, assim como os outros do estilo lançados no Brasil (como Toda Sua, da Sylvia Day), possui personagens meio confusos. Uma hora, o romance parece estar caminhando por vias mais românticas – e desculpe-me o pleonasmo -, mas logo em seguida vem a vulgarização de tudo com um sexo violento e cheio de surras, e coisas que fazem com que eu pense em estupro... a diferença é que as protagonistas GOSTAM do sofrimento, o que, sinceramente, não consigo entender muito bem. Essa mudança repentina nas formas de agir das personagens resultou em cenas irreais e pouco convincentes, durante alguns trechos do livro. Acho importante ressaltar que sou uma grande leitora de eróticos e conheço muito bem os grandes nomes internacionais do ramo, inclusive a Maya Banks (que já teve livros resenhados aqui no blog!), portanto, não estou guiando esta resenha com preconceitos.

                No fim, é o que temos: uma hora você acha que conhece a personagem, mas logo se surpreende. Isso, querendo ou não – gostando ou não -, tornou o romance bem mais movimentado. Acho que a autora exagerou em algumas cenas, desprezou alguns detalhes que ficariam legais e perdeu parte da sua identidade, ao escrever uma história com tema tão comum às outras. Adoraria ver um romance sobrenatural da Maya sendo lançado no Brasil! E, enfim, não recomendo muito o livro, por não ser fã de sadomasoquismos em romances... mas há quem goste! O engraçado é que vou continuar, sim, a ler a série... acho que os próximos romances prometem ser melhores! Quem curtiu 50 Tons e companhia, talvez goste também de Obsessão e seu mocinho quase bipolar, o Gabe. 


Nota: 7.0 

Obs.: Apesar de ser uma série, cada livro possui inicio, meio e fim. As personagens e suas histórias são apenas conectadas, mas deixar de ler o primeiro livro ou o segundo não irá prejudicar a leitura!

Obs2.: Eu nem li a sinopse no livro... foi só ver o nome da Maya na capa, que corri pra ler! hahaha. Acho que devo parar com esse péssimo costume...

10 comentários :

  1. Romances n curto muito = romance eróticos muito menos kkk

    Não me interesso nem um pouco por esse livro, mas sempre tem quem goste.

    ResponderExcluir
  2. Confesso que quando olhei a capa e o nome do livro nem passou pela minha cabeça que era uma romance, muito menos erótico. Fiquei doida pra ler, parece ser demais.

    ResponderExcluir
  3. Confesso que quando vi a capa e o nome do livro nem passou pela minha cabeça que era um romance, muito menos erótico. Fiquei doida pra ler parece ser demais.

    ResponderExcluir
  4. Eu não sinto vontade de ler esse livro por dois motivos: 1º achei a trama muito previsível. 2º Esses personagens bipolares que todo mundo anda amando me irritam, tenho vontade de bater a cabeça deles na parede e dizer "Decida-se!".
    Acho um pena que a autora tenha resolvido seguir por essa linho, acho sem necessidade. Já li outros livros dela que não precisaram disso para ficarem interessantes.

    ResponderExcluir
  5. Ai, sou suspeita pq não curto os eróticos... Uma pitada de erotismo é bom quando a história tem bom enredo e prende o leitor, então alguma cena aqui e ali mais quente se prende ao desenrolar da história. Quando a narrativa é exclusivamente erótica e conta uma história que tenta justificar as cenas hot, rs, não gosto.
    Não leria este livro.

    ResponderExcluir
  6. Não posso negar que a capa me atraiu muito. Estou louca para ler!

    ResponderExcluir
  7. Esse é o tipo de livro que fica na minha lista para ler quando quero descansar depois de um livro com mais história dentro.
    Mas eu admito que gosto de cliches.

    ResponderExcluir
  8. Estou lendo ele :) Não me rendi a onda de livros mais adultos e hot's ainda, mas gosto da autora hihihi e resolvi ler... até agora eu estou gostando mas não passei da página 70 ainda. Então espero gostar mais do que você rsrs se bem que mocinhos bipolares não me agradam muito também :P Não li 50 Tons de Cinza (Só conheço a ideia central mesmo) sempre fico boiando quando fazem comparação ahauahauahau

    Beijos,
    Jhey
    www.passaporteliterario.com

    ResponderExcluir
  9. Tem lá seus clichês, não é nenhuma novidade mas gostei dele de qualquer forma. Parece ser bem bom e já gosto do gênero, então o que vier é lucro. Querendo ler!

    ResponderExcluir
  10. Até gosto de livros que exalam sensualidade, mas ainda não li nada muito erótico.
    A falta de diálogos e, como vc comentou, uma hora estar um romance bonitinho e de repente sexo selvagem não agradam muito. Não me interessei! =/

    ResponderExcluir