Resenha | No limite da atração (Katie McGarry)

10 comentários
Saudações!
          Prontos pra resenha da semana? *-* Acho que comecei o mês dos namorados muito bem, lendo um romance tão fofo! rsrs' 

No Limite da AtraçãoAutora: Katie McGarry
Editora Verus
364 páginas
Sinopse: Ninguém sabe o que aconteceu na noite em que Echo Emerson, uma das garotas mais populares da escola, se transformou em uma “esquisita” cheia de cicatrizes nos braços e alvo preferencial de fofocas. Nem a própria Echo consegue se lembrar de toda a verdade sobre aquela noite terrível. Ela só gostaria que as coisas voltassem ao normal.
Quando Noah Hutchins, o cara lindo e solitário de jaqueta de couro, entra na vida de Echo, com sua atitude durona e sua surpreendente capacidade de compreendê-la, o mundo dela se modifica de maneiras que ela nunca poderia ter imaginado. Supostamente, eles não têm nada em comum. E, com os segredos que ambos escondem, ficar juntos vai se mostrar uma tarefa extremamente complicada.
Ainda assim, é impossível ignorar a atração entre eles. E Echo vai ter de se perguntar até onde é capaz de ir e o que está disposta a arriscar pelo único cara que pode ensiná-la a amar novamente. No limite da atração é um livro sexy e envolvente sobre o amor de duas pessoas que estão perdidas e que juntas tentam desesperadamente se encontrar.

Atenção: livro não recomendado para menores de 16 anos.

Há um verdadeiro motivo que justifica o massivo sucesso de No Limite da Atração, lançamento do mês de maio da Editora Verus. Apesar do evidente modismo instaurado pelo famoso Belo Desastre, que segue levando milhares de leitoras a procurarem bad boys delinquentes em suas leituras, a autora Katie McGarry conseguiu transformar o tema batido em algo novo e muito mais profundo do que a obra de sua antecessora.

"Esse era Noah Hutchins. [...] O Noah Hutchins que só queria transar por uma noite. Um drogado. O oposto de mim. E, neste momento, tudo o que eu queria."


                Temos aqui a vida de dois atribulados adolescentes, que estão longe de serem considerados normais. Echo é uma garota que agora convive com o preconceito e fofoca de seus colegas de escola, que não entendem como alguém que um dia já fora do grupo “popular” pode ter se tornado tão estranha quanto a Echo. Cheia de cicatrizes no braço, os comentários de seus companheiros de classe variam entre a pena e acusações de tentativa de suicídio, o que culmina no rechaço total da menina que está prestes a se formar. A própria Echo não se lembra, apesar de tentar muito, de como conseguiu as horríveis cicatrizes, que esconde com blusas de mangas compridas, e o fato dela não se manifestar sobre o assunto só piora as fofocas. Então, enquanto tenta reconstruir a sua vida entre sessões de terapia e esforço próprio, ela conhece o bad boy Noah.

"- Você não está sozinha - sussurrei no cabelo dela enquanto a envolvia nos braços. - Você não está sozinha, porque você tem a mim. - E eu te amo, mais do que você pode imaginar."

           A partir da interação entre os dois, o livro vai ganhando outro ritmo e face. O que inicialmente parecia ser mais um romance entre a menina que tenta ser certinha e o bad boy drogado, nos surpreende com sua incrível profundidade sentimental... Echo passa por um momento difícil dentro de casa: perdeu o irmão mais velho que tanto amava e seu pai é separado de sua mãe, que foi diagnosticada com transtorno bipolar e foi proibida de manter contato com a filha. Como se isso já não fosse pressão suficiente, seu pai está casado com sua ex-babá, que está grávida e age como uma verdadeira megera egoísta (odeio aquela mulher!); e ambos, pai e madrasta, vivem forçando a barra para “parecer uma família normal”, o que a Echo considera uma verdadeira farsa. É mesmo possível você sentir a raiva que cresce dentro da Echo, quando se vê sempre sendo deixada para segundo plano pela sua própria "família", e creio que isso alimenta mesmo um ódio por certas personagens (o que, no meu caso, não passou mesmo depois de terminar de ler o livro, rs).


                      Enquanto isso, Noah é um rapaz que perdeu os pais durante o 1º ano do ensino médio, e sofreu na mão dos lares adotivos pelo qual passou... desde então, não confia nos adultos e se considera um “excluído pelo sistema”.  Ele possui dois irmãos pequenos, que vivem num lar adotivo diferente do dele, e Noah tem como objetivo de vida a simples reunião de sua família. Porém, ele passa longe de ser santo: não hesita em se meter numa briga, transa com qualquer garota e faz parte do grupo dos drogados da escola.

"- Por que as pessoas sentem orgulho de mim quando a minha vida está uma droga?
- Porque crescer significa fazer escolhas difíceis, e fazer a coisa certa nem sempre significa fazer o que faz a gente se sentir bem."

                A estrutura narrativa é, com certeza, o ponto fraco do livro. Ao mesmo tempo que é uma ideia legal dividir a história em dois narradores de primeira pessoa (Noah e Echo narram a história), a autora pecou na construção de frases com formulações pobres e etc. Talvez nem todos os leitores achem isso, já que confesso ser um pouco – juro que só um pouco, rs – chatinha e exigente quanto a esse ponto de uma obra. No entanto, a construção do relacionamento das personagens foi bem desenvolvido e o a história em si foi dirigida de forma que deixa o leitor preso em sua curiosidade de saber o que vai acontecer com ambos protagonistas de vida tão sofrida.

                No Limite da Atração é um livro emocionante, literalmente. Com seu lindo romance, cheio desse sentimento de “vida real”, Katie McGarry com certeza conquistou muitas fãs com esse primeiro livro de sua série. Eu mesma estou ansiosa para ler o segundo (que não é exatamente continuação desse primeiro, já que tem como foco outras personagens)! Fiquei tão presa nos sentimentos de Noah e Echo, que não foram poucas as vezes que senti vontade de chorar, principalmente quando o livro já estava chegando ao fim... Com certeza, para quem gosta do gênero, recomendo bastante o livro!



Nota: 9.5 (O livro tinha tudo para ser perfeito, pena que a escrita da autora não é particularmente uma das melhores :xx)


Obs.: Uma coisa engraçada que acho que só aconteceu comigo: demorei bastante pra me acostumar com o fato de que Echo é mulher e Noah, homem. HAHAHA.  

10 comentários :

  1. achei uma história muito legal embora seja triste, mas tem uma pegada de mistério e romance e isso é adorável.
    Não podia deixar de falar sobre a capa, MUITO LINDA!!
    Até mais.
    http://realidadecaotica.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Preciso ler esse livro!!!!
    Estou muito curiosa, li até a metade e estou louca para terminar.
    Até agora, a relação do Noah com os irmãos é linda!!! Não gostei do ex da Echo.
    Espero terminar logo o livro....

    ResponderExcluir
  3. Preciso ler esse livro!!!!
    Estou muito curiosa, li até a metade e estou louca para terminar.
    Até agora, a relação do Noah com os irmãos é linda!!! Não gostei do ex da Echo.
    Espero terminar logo o livro....

    ResponderExcluir
  4. Esse n é um livro pra mim e.e n curto livros com romance demais e ainda mais, quando é voltado para gurias kk

    ResponderExcluir
  5. Confesso que quando vi a capa não imaginei que esse livro tinha essa pegada tão interessante. Me parecia ser uma trama bem leve, igual a muitas outras espalhadas por aí. Fiquei bem curioso pra ler.

    @_Dom_Dom

    ResponderExcluir
  6. Faz um tempão que quero comprar livros desse novo gênero New Adult, tipo Belo Desastre e No Limite da Atração. Sobretudo este último. Já li várias resenhas positivas, sempre afirmando que era uma estória sensível e profunda - e como também sou exigente (você não é a única rsrs), quero tirar a prova, se o livro é mesmo o que o povo diz. Ótima resenha!

    Beijos!
    Clara
    labsandtags.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Sabe aquela resenha que você lê e pensa: Eu precisooo ler esse livro agora?
    É como estou me sentindo!

    ResponderExcluir
  8. Eu tenho um interesse pequeno em ler esse livro, acho a trama bem interessante, mas agora que você disse que ele se assemelha a Belo Desastre eu fiquei um pouco mais em dúvida, ainda não li o outro mais os comentários que vejo não me agradam e vou ser sincera não sei como as mulheres caem de amor pelo tal do Trevor. Minha curiosidade nesse livro é saber como a Echo conseguiu as tais cicatrizes e como se desenvolve esse romance deles, mas o garoto também parece ter uma personalidade de garotos mal caráter é isso que eu não consigo entender, como isso pode se encaixar numa trama romântica. Mas enfim, ainda queria ler.

    Abraços,
    Raquel.

    ResponderExcluir
  9. Ê livro bom heim? Doida pra ler o meu, essas resenhas estão me matando! Mias uma que me deixa morta de curiosidade. Ai papai, quero conhecer esse menino! =P

    ResponderExcluir
  10. Bem, só pelo livro ser comparado a Belo Desastre já fiquei intrigada para lê-lo. Gostei da história e sua resenha me animou bastante para ler o livro, parece ser ótimo! Gosto muito dessa capa, é linda!

    ResponderExcluir