[Resenha] Olhos Dourados (Maya Banks)

2 comentários

 Saudações!
          Com um pouco de atraso, fiquem com mais a resenha de mais um romance de banca. [: E... sim, estou viciada na Maya Banks (mesma autora da ultima resenha de romance de banca daqui), haha.

Olhos DouradosAutora: Maya Banks
272 páginas

Sinopse:
Quando o Xerife Duncan Kennedy encontra uma fêmea de guepardo ferida em suas montanhas, leva-a a sua casa, determinado a averiguar o que fazia nessas terras e deter os caçadores clandestinos que pretendiam caçá-la. Quando pretende mais tarde examinar a ferida do guepardo e encontra em seu lugar uma bela e nua mulher com uma ferida de flecha na perna, fica completamente atônito. Durante seis meses, Aliyah Carver esteve presa em sua forma de guepardo. Tendo sido capturada por caçadores clandestinos dedicados a importar animais exóticos caçados ilegalmente, teve que permanecer em sua forma animal para evitar ser descoberta. Conseguiu escapar dos caçadores… mas agora tem outro problema. Um xerife absoluto e devastadoramente sexy sabe seu segredo.



Resenha:
O quão estranho pareceu lhe pareceu a sinopse? De alguma forma, Maya Banks sempre me surpreende com seus livros totalmente fora da realidade, apesar de – com toda certeza – estarmos lendo um livro de nossa era, que acontece em nosso mundo. Olhos Dourados é o primeiro livro de uma série onde, pasmem, as mulheres se transformam em animais. Porém, apesar disso, elas merecem o amor... não merecem?

                Maya Banks não poderia ter escolhido um assunto mais estranho para pôr em seu livro – mais um romance de banca no mundo. Começamos a ler já na pele da mulher-guepardo, enquanto a mesma foge de caçadores ilegais. Enquanto fugia, levou uma flechada e estava impossibilitada de continuar sua fuga até que... Bum... Aparece o Xerife Ducan e salva sua pele. Certo, podem me chamar de chata, mas alguém me explica como os caçadores estavam caçando com armas de fogo, e a guepardo foi atingida por uma flecha? Haha. Deixando isso de lado... Bem, Ducan ficou com um pé atrás em levar um guepardo (imagem construída por ele: bicho esfomeado afim de carne humana) para dentro de casa; porém, diante sua obrigação de xerife, e uma estranha conexão com o animal, o levou para dentro de casa. Colocando a guepardo à um canto de casa, foi fazer algumas coisas, e logo em seguida voltou para de junto do... Opa, no lugar do guepardo havia uma bela mulher nua, com uma flecha trespassando a perna. Que magia é essa? Haha.

                Duncan é até um cara legal, levando-se em conta que ele acaba de ver uma mulher onde deveria haver um guepardo. Mesmo desconfiando que estava louco, cuidou da mulher, mimou-a e protegeu-a da forma que pôde. Devo dizer que ele já estava bem possessivo, após uns poucos dias em contato com a Aliyah, rs. Tudo no maior estilo Maya Banks, com direito à cenas cada vez mais chocantes de sexo, enquanto os personagens desenvolviam um tipo de amor que parecia já durar anos. Não há muito o que contar, após isso. Como há o dia da caça e do caçador, Duncan decidiu “caçar” os caçadores, para manter sua Aliyah totalmente segura – ao mesmo tempo que fazia o que um xerife devia fazer.

                Os personagens de Maya Banks sempre são cativantes. Não há como não se apaixonar por Duncan e sua quase devoção por Aliyah, nem muito menos não amar essa outra personagem. Ambos, juntos, formam um casal perfeito, que você sabe que combina. Porém, o livro não conseguiu me dar aquela sensação de fascínio ao virar a última página. Se ele possui uma estória um tanto incomum em romances de banca? Sim; mas, mesmo me surpreendendo um pouco com a temática do livro, ele não conseguiu me tocar. Faltou algo... Alguma coisa. Talvez um pouco mais de conteúdo ou drama, quem sabe. Porém, ao mesmo tempo que penso assim, também sei que isso sairia totalmente do estilo da Maya, que costuma construir enredos desprovidos de tramas cheias de ciuminhos bestas e traições. Só resta o conformismo, então.

                Gostei bastante do livro, apesar de não tê-lo colocado em minha lista de favoritos; inclusive, já vi melhores livros da autora. Entretanto, o que se pode esperar do breve romance é o que já se espera nos livros da autora: personagens fofos com mocinhos protetores, algum perigo cercando a mocinha e... Cenas hots. Assustadoramente hots. Se você não gostar de algum dos pontos ditos, principalmente o ultimo, então nem comece a ler. Não vale a pena. Olhos Dourados é um romance simples, para quem não tem nada o que fazer e deseja uma breve distração. Nada mais que isso.

Nota: 8.0
Ass.: Arine-san

2 comentários :

  1. Adore a resenha e o pouco que sei sobre romances de bancas já deu pra perceber que essa magia de mulher mudar de forma é algo novo.
    Minha mãe é simplesmente viciada nesse tipo de liro e certo dia por tédio fui pegar um para ler, e confesso que não gostei muito. Mas fiquei curiosa com esse "Olhos Dourados".

    Beijos,
    Nane
    http://emsintoniacomoslivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Bom eu até tinha gostado do livro no inicio, mas a sua forma de finalizar fez tudo sumir. rsrsrsr Sou assim se vejo uma resenha que a pessoa não foi muito com a cara do livro acabo deixando ele de lado.


    Beijokas!

    ResponderExcluir