#Andei vendo Filme Jogos Vorazes

Um comentário

E olha eu aqui. [:
                Sei, sei; essa postagem deveria ter saído ontem. Porém, minha internet resolveu começar um revolução aqui, e está difícil até mesmo entrar na página inicial do Google. Pois é...  Esquecendo isso, venho hoje com um lançamento muito comentado, baseado numa trilogia que vem conquistando cada vez mais fãs à cada dia. Rapidamente, eu que nunca havia nem ouvido falar de Jogos Vorazes, vi ele se transformar numa das séries de livros mais comentadas, e num dos lançamentos cinematográficos mais esperados... Há um motivo para isso, e sabe do fato quem já leu/viu o livro/filme.
                                           
Sinopse:
Num futuro distante, boa parte da população é controlada por um regime totalitário, que relembra esse domínio realizando um evento anual - e mortal - entre os 12 distritos sob sua tutela. Para salvar sua irmã caçula, a jovem Katniss Everdeen (Jennifer Lawrence) se oferece como voluntária para representar seu distrito na competição e acaba contando , com a companhia de Peeta Melark (Josh Hutcherson), desafiando não só o sistema dominante, mas também a força dos outros oponentes.
Ficha Técnica
Lançamento
23 de março de 2012 (2h 22min) 
Dirigido por
Com
Gênero
Nacionalidade

Resenha:
Misturando perfeitamente a ação e crítica social, Jogos Vorazes é mais do que um filme visivelmente dirigido à população teen. Na verdade, confesso, o filme não estava no topo da minha lista (nem mesmo no fim da mesma), quando fui ao cinema... Se o assisti – e agradeço por isso -, foi só um jogo do acaso, que me fez chegar tarde para a sessão na qual eu realmente estava interessada. Com certeza, posso não ter visto o filme que tanto queria, mas não me arrependo de ter ido ao cinema.

               Jogos Vorazes nos leva para um mundo distante, apesar de tão visivelmente próximo à nossa própria realidade. Governado por punhos totalitários e impiedosos, o mundo é dividido em distritos, e cada qual é obrigado á participar do evento anual que leva à morte 23 crianças e adolescentes. Nesse jogo, Os Jogos Vorazes, as crianças escolhidas – duas para cada distrito – são obrigadas a lutarem contra si mesmas, matarem-se para sobreviverem, e, no fim, apenas uma pessoa sobreviverá. Apesar disso, o que mais choca não é o fato das mortes em si, mas como as mesmas servem de diversão para a caricaturada burguesia. Sim, notando-se por trás disso um alto teor de critica social, vemos ali, no filme, nossa burguesia (capitalistas fiéis ao dinheiro e aparência) vestida com roupas espalhafatosas e usando maquiagens exageradas, para representar a futilidade de nossa própria sociedade. Para essa parte da população – tanto no filme quanto na vida real -, assistir crianças matando-se pela sobrevivência, verem como sofrem e como lutam, é o maior passatempo. (Alô, não parece o Big Brother? [: ). Porém, esse ano promete ser mais divertido para os burgueses desse mundo caricaturado: Katniss, para salvar sua irmã que fora escolhida para o Jogo, se voluntaria para representar o distrito 12; juntamente com ela, o segundo escolhido de seu distrito foi Peeta Melark, um garoto singelo e secretamente apaixonado por Katniss. Daí, tudo se transforma num filme que mistura, além da ação, uma pitada de romance e – como sempre – intensa critica filosófica.

                Gostei muito do filme. Não posso contar muito sem fazê-lo perder aquela emoção que só sentimos ao ver uma cena inusitada pela primeira vez, mas posso dizer que emoções estão reservadas para qualquer tipo de público. Olhe bem, não li o livro – e, particularmente, não penso em fazê-lo  -, mas sei que ao menos o filme é muito bom e super recomendado! Personagens cativantes, estória intensa e com uma trilha sonora que nos deixa tensos no momento certo. Tudo feito sob medida, de uma forma especial, que, penso eu, se adéqua à qualquer estado de espírito. Você só vai perceber mesmo que passou mais de duas horas sentado, quando o filme acaba, e você se levanta e sente todos seus ossos doerem mortalmente (Oi, essa é minha triste história verídica de vida. Haha).

                Depois de tudo o que eu disse, por quê ainda está sentada(o) ai, ao invés de correr para o cinema? [:

Nota: 10
Ass.: Arine-san

Um comentário :

  1. Muito boa sua resenha... passou bem o que senti quando vi...
    Li o livro e fui ver o filme... é bem fiel... muito bom mesmo...

    Beijos.
    #Resenha falada.

    ResponderExcluir