#Andei vendo Filme My Amnesia Girl

Um comentário
Oi, minhas (lindas) leitoras! Como vão? Então, hoje venho com uma postagem que estava programada para ontem, mas, como não deu para postar, postarei hoje. É uma comédia romântica que baixei muito recentemente, e me diverti bastante assistindo. A seguir, a ficha técnica do filme, e, logo depois, a sinopse e resenha. [;

                              

Diretor: Cathy Garcia-Molina
Produção: Charo Santos-Concio
                   Malou Santos
Escrito: Jade Castro
Estrelando: JohnLloyd Cruz 
                    Toni Gonzaga (Clique no nome do ator para ver fotos ^^)
Estúdio: Star Cinema
Duração: 110 minutos
País: Filipinas
Linguagem: Tagalog
                      Inglês

Sinopse:
O filme conta história de Apolo, um cara que já tentou de tudo, mas não conseguiu esquecer Irene, a mulher por quem ele é apaixonado e que, ironicamente, largou no altar devido um ataque de pânico. Anos depois do ocorrido, eles se encontram novamente, porém Irene decide se vingar e diz que não se lembra dele porque sofreu um acidente e tem amnésia. O mais incrível é que Apolo acredita na história e vê nisso uma oportunidade para reconquistá-la.
(Créditos: Tudo para Otakus) 

Resenha:
Apesar de, inicialmente, o filme não parecer asiático, ele é sim. Claro, para quem está acostumado a assistir doramas e filmes coreanos e japoneses, e vê aquelas cidades bonitinhas e certinhas, se assustará com esse filme: Filipinas é um país de aparência semelhante com a do Brasil, onde, junto com a cidade, também reina alguns lugares não tão bonitos (para não dizer outra coisa, haha). A lingua do filme é outro problema, (e falo sério), é uma mistura nauseante de inglês com uma outra língua estranha (o tal do tagalog); as vezes, eles falam tão rápidos, que temos que voltar o vídeo, só para ler a legenda (haha). Apesar dos pesares, e mesmo com a estória relativamente fraca, esse é um bom filme, com um romance leve e divertido – com direito à cantadas que mais parecem piadas, e outras loucuras a parte.

                O filme começa num casamento. Calma, não é o casamento, já, dos protagonistas, mas de um amigo de Apolo. Aquele ambiente festivo, com todos os enfeites que marcavam a data festiva da união, fez com que o nosso mocinho – ai sim – relembrasse de seus erros do passado... Há alguns anos, ele conhecera uma linda mulher, a Irene. Após se conhecerem a base de cantadas que nem bêbados são capazes de fazer em sues momentos de bebedeiras, passaram a viver uma linda história de amor... Até que Apolo pediu a jovem Irene em casamento, e ambos foram ao altar. Apolo era feliz e Irene também, mas adivinhe o que Apolo fez, bem na hora do casamento? Teve uma crise de pânico e fugiu, deixando a noiva no altar, e não voltando mais para contatá-la. Idiotice? Creio que até mais que isso. O fato é que, depois disse, não se encontraram mais, a não ser três anos depois... E Irene afirmou que havia perdido a memória (caso de amnésia) e que não lembrava dele. Dai o titulo do filme.

                Tudo mentira. Na verdade, a amnésia foi só uma desculpa que Irene achou para afastar Apolo de si, já que ela ainda estava muito magoada pelo fato dele te-la deixado no altar. Apesar de seus iniciais objetivos de afastá-lo com a mentira, na verdade, o efeito foi o contrário: Apolo viu a oportunidade correta de concertar o erro do passado e fazer Irene apaixonar-se novamente por ele. Ela faz ele sofrer o pão que o diabo amassou, mas ele não liga, tentando ter uma segunda chance com o amor de sua vida. O final é fofo, apesar dos pesares, e diferente do que qualquer um possa imaginar. É legal ver como as ações ternas de Apolo vão, lentamente, fazendo efeito, e Irene vai se rendendo e deixando o passado para trás. E, mesmo no final, as cantadas ridículas persistem...

                É muito legal o inicio do filme, porque, quando Apolo começa a relembrar o passado, ele não lembra somente do dia em que conheceu Irene, mas também algumas cenas que viveram juntos. Irene é muito louca, e daquelas loucas que matam qualquer um de overdose de fofura. Há uma cena, no inicio do filme, em que ambos estão na igreja orando, e Irene agradece na oração: “Deus, obrigada porque eu pedi somente pão, e o senhor me deu hambúrguer e batatas fritas”. (Eu ri muito nessa parte; Irene é tão fofa e incomum!). Enfim, é como eu já disse, a estória do filme não é complexa e não há mistério nem suspense, nem drama. É só uma comédia romântica, bem levezinha e bonitinha – como todo filme asiático.
Nota: 9

Ass.: Arine-san

Um comentário :

  1. Ola...Gostei muito do blog, tem uma variedade muito boa e você escreve de um jeito bem legal, que prende a atenção.
    Fiquei morrendo de curiosidade para ver esse filme. Adoro comédias românticas, esse vai para a minha lista de filmes que quero ler.
    Beijos

    ResponderExcluir