Ensaio de um beijo (Elizabeth Bernard)

2 comentários
Oi, leitores(as)! Novamente, eu aqui, e venho com mais uma resenha - ah, como adoro resenhar (*-*). Como sempre de meu costume, não li a sinopse do livro antes de lê-lo, e me senti realmente feliz por isso - apesar de que... sério, a sinopse não é lá muito reveladora. A coleção Primeiro Amor, desde o inicio, me pareceu bem interessante, apesar de ser infanto-juvenil e tal. Esse é o segundo livro que leio da série; mas, deixemos isso de lado, e vamos à resenha!

Ensaio de um beijo


Autora: Elizabeth Bernard
Editora Ática, coleção Primeiro Amor
158 páginas

Sinopse: Naomi é uma adolescente que sonha em ser uma estrela famosa e viver um grande amor. Mas ela não leva seus sonhos muito a sério, até que participa da montagem de uma peça na escola e conhece alguém muito especial.








Resenha: 


De verdade, já fazia algum tempo desde que eu lia uma livro tão leve e simples. Afinal, é um livro infanto-juvenil. Apesar disso, nada me impediu de simplesmente embarcar de vez na viagem que o livro me proporcionou, e de me apaixonar perdidamente pelos personagens. Um fato importante de ressaltar: o livro é em primeira pessoa. E isso, agora, se torna mais uma base para meu velho argumento: livros em primeira pessoa, muito geralmente, são perfeitos.

        Inicialmente, sério, me senti impressionada pelo fato da personagem se parecer comigo. Claro, logo descobri que as semelhanças se resumiam a muito pouca coisa, mas, tudo bem. De verdade, Naomi é só uma garota um tanto insegura quanto à seus próprios e secretos sonhos, enquanto tenta realizar os que todos já construiram para ela. Diziam que ela devia ser advogada; e, logo, era para isso que ela estava lutando. Sem perceber, acabara entrando numa armadilha sem fim, na qual ela não era ela mesma - nunca, nem na frente de seus verdadeiros e velhos amigos. Ela queria um grande amor, um do tipo paixão enlouquecida... mas o que tinha era um namoro amigável com um cara que era seu melhor amigo desde a 2ª série; ela queria ser atriz, mas corria para os braços da advocacia. Ela queria ser muita coisa, e descobria que, na verdade, não queria ser nada. Naomi, então, se tornara uma menina tímida, receosa de suas próprias ações, super certinha e previsível para todos. Por exemplo, todos já sabiam quais seriam suas respostas à perguntas de praxe, e sabiam o que ela teria ou não coragem de fazer. Ela era um tipo de cd arranhado, que sempre faria as mesmas coisas, todos os dias, em todos os momentos. Talvez por isso todos seus sentimentos seguintes se revelem rebeldes, revoltados.

        Apesar desse ser um livro infantil, ou melhor, para pré-adolescentes em sua fase mais bela da vida (na minha opinição, isso é verdade), há uma lição de moral escondida por detrás da narrativa envolvente e simples do livro: se quer que algo em sua vida mude, comece você mesmo a fazer as mudanças. Naomi só começara a ter sua vida totalmente transformada da "água para o vinho", quando deu o primeiro passo para estar mais próxima do seu sonho de ser atriz - sem mais nem menos, ela inscrevera-se como candidata na peça teatral Bela e a Fera, que estreiaria daqui umas semanas. Ninguém, nem seus amigos mais intimos e inseparáveis, pareceu entender essa sua ação; e o que ela cosneguira foi sometne olhares chocados, que a olhavam quase como se ela fosse uma impostora. Creio que foi ai que ela começara a se revoltar contra todos, contra aquele sentimento que eles tinham de que ela era sempre a "menina certinha, a futura advogada, a garota nerd e eficiente". Essa revolta se dirigia quase que diretamente à seus melhores amigos.

        Então, durante a peça, ela conhecera Dylan. Ah, um garoto gentil, apesar de sua aparencia bad-boy, e um rapaz simplesmente apaixonante. Ele faria o papel de Fera, na peça, e Naomi faria o papel de Bela. Rapidamente, se tornaram amigos; e, antes que a própria Naomi percebesse, já começava a perder um pouco de sua pose de boa menina. Seus amigos, seus pais, enfim, todos estranharam a "nova Naomi". E ela, muito de repente, descobrira que estava apaixonada pelo aparente bad-boy Dylan, e que ele também parecia sentir o mesmo por ela. Mas como saber, se ele sempre atuava tão bem no palco? Como saber se ele não estava fingindo aquele amor, enganado-a? Acompanhamos essas e outras dúvidas da protagonista, durante todo o livro. E ainda há o fato de que ela tem um namorado... certo, eles não agem como namorados, exatamente, mas não seria tão fácil assim terminar com seu melhor amigo, dizer à ele que nunca o amara como mais do que uma amiga.

        Uma estória totalmente apaixonante, como eu já disse. Adorei os personagens, a narrativa, a ingenuidade de toda a estória... Adorei, adorei, adorei. Claro, é um livro tão curtinho... E o final, apesar de ser um tanto definitivo, nos deixa aquele gostinho de quero mais. Sério, eu daria tudo para o livro ter mais um capitulo, quem sabe um prólogo do futuro de ambos protagonistas... Seria perfeito. (Sinto que acabei falando demais...). Então, recomendo o livro para quem gosta de um romance simples para passar o tempo, e curte uma estória leve, sem tantas complicações.  A capa não é lá muito bonita, mas até esquecemos esse fato, após ler as primeiras páginas.

Nota: 9.8


Ass.: Arine-chan

2 comentários :

  1. ahhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh. O lay do blog tá a cois amais linda *.*
    Como tá fofo. Que vontade de morder(?) *.*
    Eu nem ligo para livros em 1º ou 3º pessoa. Apesar dá leitura entre ambos serem muito diferente, gosto dos dois. O bom do livro em 1º pessoa é que nos sentimos mas conectado ao personagem, o de 3º, porque vermos um fato por olhares diferentes. Eu gosto dos dois XD
    Tô precisando ler livros leves esses tempos, meus livro estão muito filosóficos ultimamente sahushausahu
    Tão bom quando nos apaixonamos pelos personagens né...
    Realmente a capa não é lá essas coisas XD
    BJ!

    -Amigas Entre Livros-

    ResponderExcluir
  2. OFG! Eu tipo, amo demais esse livro. Foi um dos primeiros livros que eu já li e é simplesmente demais! Tão fofo e romântico! Amei!

    ResponderExcluir