Inexplicável Magia (Martha Shields)

2 comentários


Inexplicável Magia
Autora: Martha Shields
159 páginas
Sinopse:

Ele nascera para ser pai!
 — Você pode contar comigo — foi isso que Richard McNeal sussurrou ao ouvido da mulher ferida. E mais: — Não se preocupe. Prometo que tomarei conta de seu filho, como se ele fosse meu. Não permitirei que nada de mal lhe aconteça. Você tem minha palavra. É o mínimo que posso fazer, depois de... — Richard não concluiu a frase. Também, como fazê-lo? Como explicar, em poucos segundos, a uma pessoa quase inconsciente, a dor que o dilacerava havia três anos? — Acredito em você — foi tudo o que Kate Burnett pôde dizer antes de perder os sentidos. Richard duvidou do que tinha acabado de ouvir. Aquela mulher havia realmente dito que acreditava nele? Não era possível...! 


Lindo! O melhor! Comecei a lê-lo hoje pela manhã, e, simplesmente, não consegui parar. Da série A cegonha chegou, lançada pela Sabrina, acho que esse foi o melhor volume. De todas que li (e não foram lá poucas), nenhuma estória da Sabrina me tocou tanto quanto essa; raramente senti meus olhos se encherem tanto de lágrimas quanto enquanto eu lia esse livro... Na verdade, somente dois livros fizeram isso comigo: A menina que Roubava Livros, e Marley e Eu; agora, devo acrescentar à lista: Inexplicável Magia. Livro perfeito demais.
A noite prometia não ser ruim, embora também não boa, para Richard. Ele voltava do trabalho, exausto, e agradecia por isso. Estar cansado significava dormir um sono sem sonhos, e, provavelmente, ele não teria energia extra para ficar relembrando seu doloroso passado e o golpe duro que o destino dera contra ele. Isso até que... um menino passa de bicicleta bem de frente à seu carro, e ele para o carro abruptamente. Quando ele já respirava aliviado por ter desviado do garoto à tempo, ele percebe que um carro, com uma mulher ao volante, bateu no fundo do seu próprio, e outro, que vinha logo atrás, bateu, por sua vez, no carro da mulher, fazendo o carro da moça girar pela pista e bater de frente a um poste. Sim, Richar salvara um garoto, e, como preço, causara um terrivel acidente!
Richard é um homem bom, embora sofrido. A cena do acidente lhe levou ao passado, para ser mais concreta, levou-o há três anos atrás, quando um acidente deste mesmo tipo matara sua mulher e o filho que a mesma esperava. Agora ele se sentia desesperado por salvar aquela moça, loira, e seu adoravel filho. O menino foi tirado do carro sem muitos ferimentos, mas a mãe estava inconsciente e, visivelmente, muito machucada. A ambulância chegou e levou mãe e filho para o hospital, Richard acompanhando todos os passos. Ele se msotra tão carinhoso, tanto com Jonathan (o filho da jovem loira) quanto com a mãe do mesmo! Kate, a jovem loira mãe de Jonathan, manteve-se num estado muito parecido com o coma, e Richard decidiu cuidar do filho da mulher, levando-o para sua casa. O mais fofo de tudo era o ato de Richard, todos os dias e sem falta, ir ao hospital, de manhã e de noite, para visitar e ficar conversando com Kate, mesmo com ela ainda inconsciente e incapaz de respondê-lo. Ha-ha, todas as enfermeiras pensavam que ele era namorado/noivo de Kate, vê se pode! Richard me fez quase chorar muitas vezes, com seus pensamentos. Oh, Richard... 
Então... será que Kate acordará? Ou melhor: será que ela irá conseguir sobreviver? Será que Richard verá novamente a cena de uma mulher morrendo, como aconteceu com sua ex-esposa? Isso você só saberá se ler o livro, claro. Muito bom o livro, apesar de a carga emocional se tornar cansativa, de vez em quando (de vez em quase nunca, na verdade). Sem contar que os diálogos são tão bem elaborados, que mais parecem conversas entre filosofos! Não que isso tire em algo a beleza do livro. 
Super recomendado!

Nota: 10!

2 comentários :

  1. Oi Mary,

    Eu costumava ler muitos romances de banca quando era mais nova e tinha alguns que eu adorava e se tornavam logo meus preferidos e os tenho até hoje! Mas confesso que de uns tempos pra cá, os poucos que eu me aventurei a ler não gostei nenhum pouco perderam muito o encanto que costumava ter!
    Esse pelo que eu posso notar é dos antigos e parece ser bem legal! É muito bom quando um livro nos emociona a ponto de nos deixar com lágrimas nos olhos e por eles serem bem pequenininhos a gente ler numa só sentada né? rs

    Ah e respondendo ao seu comment lá no blog (por sinal agradeço a visita ^^)Um que eu te recomendo da Patricia Cabot é o A Rosa do Inverno que é o meu preferido dela até agora! Tem até resenha lá no blog falando sobre ele caso você queira dar uma conferida depois! E muita gente não sabe mesmo que a Meg e a Patricia são a mesma pessoa, isso é super normal rsrs Na verdade o nome dela é Meggan Patricia Cabot e no começo da carreira ela assinava os seus primeiros livros com o seu segundo nome e eles também tinham uma temática mais voltada para o romance adulto e não o infanto-juvenil pelo qual a Meg é tão conhecida!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  2. Oiiiii amei muito o seu bloog . . .
    E já estou te seguiindo!!!
    Sigam o meu blog? Se vocÊ tiver um blog eu sigo de voolta bjss*-*
    www.allysonebooks.blogspot.com

    ResponderExcluir