Doce lembrança de um amor (Rosemary Hammond)

Nenhum comentário
Doce Lembrança de Um AmorAutora: Rosemary Hammond
Julia 267, 120 páginas

Sinopse:
Uma onda os cobriu mas eles continuaram juntos, abraçados, as mãos se procurando, se descobrindo sob a mágica luz do anoitecer em Bainbridge Island. Katherine acariciou os cabelos molhados de Luke e trouxe a cabeça dele para junto de seus seios. Estremeceu com o roçar daqueles lábios quentes, enlouquecendo de desejo com o tenso pulsar do corpo dele contra o seu. Luke a beijou ferozmente para depois sentir o gosto salgado da pele de Katherine, fazendo-a mergulhar nas profundezas do prazer. Foram momentos de loucura que agora não passavam de lembranças. Agora, Katherine estava no escritório, atordoada, Luke, à sua frente, sequer a reconheceu ao cumprimentá-la com frieza profissional. Era o patrão, ela a empregada. O primeiro amor, uma mentira...

Mais um daqueles romances que se lê de uma pegada só. Com uma estória leve, cheio de personagens com um ciume fofo um do outro, e passados mal resolvidos... Enfim, a estória é bonita, sim. Não digo que este é um dos meus livros favoritos, mas pode até chegar perto (rs). Alerto, pode haver SPOILERS nessa resenhar; só não diga, depois, que não avisei. 
Katherine é secretária de um advogado, mora sozinha mas já foi casada - eis ai a sua pior lembrança: o casamento. Ela conseguia concordar de que nunca amara o ex-marido, mas ela também não imaginava que o segundo homem que entrara em sua vida sairia tal como o primeiro... Ela resolvera, então, nunca mais se apaixonar ou manter relações amorosas com qualquer outro. Era sua forma de evitar o sofrimento, e vinha dando certo até que... Luke, seu primeiro grande amor, apareceu novamente, depois de tantos anos. Um cara chato, arrogante e exigente como se fosse o presidente da república! Ah, dá vontade de mandar Luke passear! Sabe aqueles meninos birrentos, que têm que ter algo na exata hora que querem, senão fazem um escandalo? Pois é, este é o nosso querido Luke
. E Katherine teve que lidar com tudo isso, enquanto seu chefe viajava à trabalho. Devo lhe dizer... o chefinho dela é a coisa mais (cut-cut) fofa! Estava claro para todos que ele gostava muito de katherine, e ela sabia disso, mas não queria se deixar envolver. Acho que é nesse ponto que a autora errou. O livro podia ter se prolongado mais um pouco, talvez ter feito Luke sentir um ciumezinho do chefe de Katherine, por exemplo (rs)... Mas não. A estória foi contada de maneira direta, sem tantas reviravoltas, o que pode ter deixado a estória com alguns buracos. E, como sempre, uma critica que faço constantemente: deveria ter havido mais cenas romanticas entre o casal! Ora, não é caso de agradar os leitores, mas de fazer a estória parecer menos corrida. Isso, principalmente pelo lindo final do livro (corrido, mas lindo).
         A parte que mais gostei da estória em si, foi o passado de Katherine e Luke juntos... É lindo ver isso, sinceramente. Luke, na verdade, era melhor amigo do irmão de Katherine, mas ela só vivia colado com os dois. As vezes katherine, durante o decorrer do livro, nos leva à uma viagem momentanea pelo seu passado; ela se lembra de como os meninos viviam se metendo em confusões e como, por vezes, eram maus com ela. De todo o livro, a parte mais bonita, com certeza, foi esse passado construido por Luke e a moça, que, desde aquela época, já pareciam se gostar.
Ah, devo parar um pouco para fazer um pequeno elogio à autora: ela escreve super bem. Claro, apesar dos defeitos na estória em si (talvez seja somente eu com meu perfeccionismo exacerbado), a narrativa é envolvente e muito bem feita. Adorei-a. Talvez só por isso eu procure outros livros da autora, para lê-los (rs).


Nota: 8.5

*Não sei porque, mas essa resenha saiu bem pequenininha, não foi? (rs)*

Nenhum comentário :

Postar um comentário