Recent Posts

Resenha | Star Wars, A ascensão da força sombria (Timothy Zahn)

Nenhum comentário
O maior desafio de todo escritor, talvez, seja escrever uma série concisa. E isso é muito mais difícil do que pode parecer para os olhos quase céticos dos leitores; afinal, do que se alimenta uma boa trilogia de livros? Não importa a resposta agora, o que realmente importa é que, seja lá qual for ela, o Timothy Zahn também não sabe. Ao menos, é o que me pareceu, enquanto lia A Ascensão da Força Sombria.

O autor renomado da Trilogia Thrawn ganhou diversos pontos comigo no decorrer do seu primeiro livro, o Herdeiros do Império. Ali, tínhamos tudo aquilo de mais essencial numa boa história de Star Wars: x-wings, sabres de luz e a força agindo dos dois lados. Destaquei principalmente o papel de seu vilão, o próprio Thrawn, na criação do cenário pós-"derrota" do Império.

Pois bem. Esse é um ponto. Enquanto o primeiro livro da trilogia tinha um ritmo bacana e trazia de volta as personagens cativantes e já conhecidas dos fãs de Star Wars, esse segundo livro peca pela quase corrida rumo ao final.

E com essa corrida, parece que até mesmo Thrawn perde o fôlego. O autor até tentou manter a linha da personagem, dando a ela aquele toque sarcástico e sagaz de sempre, mas não colou. Pelo menos, não para mim.

O vilão parecia perdido, cometeu diversas gafes que até para mim soaram bem bobas. Logo Thrawn, o cara que sempre pensa fora do eixo, cometendo erros um atrás do outro! O que pareceu, de verdade, é que o livro foi feito de várias coincidências que resolviam de forma imediata os principais problemas enfrentados pelos mocinhos, nossos queridos Luke, Leia e Han Solo.

Isso não só empobreceu a narrativa, como construiu cenas que beiravam o cômico de tão mal feitas. Algumas, soaram confusas, outras, tão rápidas que você precisava reler para captar bem tudo que tinha acontecido. Parecia que o autor estava correndo tanto, que você podia perder algum apocalipse ou destruição do universo se não lesse com cuidado 2 linhas.

Uma pena, porque o primeiro livro realmente teve um ritmo muito gostoso, e você sentia o desenvolvimento de muitas personagens. Nesse quesito, a única que senti que continuava crescendo foi a Mara, que ainda é - bem de longe - minha personagem favorita na narrativa.

Esperta e misteriosa, ela salvou muito da história de A Ascensão da Força Sombria. Ela é a prova escrita de que Zahn sabe construir uma história impecável; o que aconteceu com esse livro, talvez, tenha sido um misto de pressa e alguma falta de planejamento. Aposto fortemente nessa segunda opção.

E a coisa foi tamanha, que até mesmo o capricho da Aleph parece que diminuiu nesse livro. A edição continua belíssima, mas alguns erros de digitação espalhados pela obra, e eles aumentaram bastante nas últimas páginas. Não foi nada muito grave, mas não consigo deixar de comparar com a edição top de linha do primeiro livro da trilogia.

Com o final desse segundo livro, o destino da Nova República e da própria galáxia volta a ser bastante incerto, o que me dá alguma esperança de que o Último Comando, o último da trilogia, seja muito melhor. Que a força atenda minhas preces!

E como o livro está na minha meta de leitura de 2017, provavelmente será um dos próximos que lerei. Logo, logo sai resenha! :)

Mas e vocês? Leram a Trilogia Thrawn? O que acharam? Contem para mim, pelo amor da deusa, se o último livro da trilogia é menos decepcionante do que esse!

Onde comprar: Amazon - Livro físico R$ 28,10 | E-book R$ 22,36
                           Submarino - Livro físico R$ 38,27
                           Livraria Cultura - Livro físico R$  28,14  | E-book R$ 29,10
                           Saraiva  - Livro Físico  R$ 46,90 R$ 28,10  | E-book R$ 29,50 R$ 23,60 

Autor: Timothy Zahn
Editora Aleph
Ano 2015
504 páginas
Skoob
Nota 7/10 | ★★★✰✰
Sinopse: No segundo volume da consagrada Trilogia Thrawn, a luta de Luke, Han e Leia em defesa da Nova República continua. Mais uma vez, eles enfrentarão as tropas imperiais dissidentes, comandadas pelo poderoso grão-almirante Thrawn.
Quando Talon Karrde é capturado por forças inimigas, Mara Jade relutantemente recorre à ajuda de Luke Skywalker, que é forçado a interromper seu treinamento com um curioso mestre para ampliar o domínio da Força.

Enquanto isso, Han Solo e Lando Calrissian seguem com suas investigações, afim de descobrirem um possível traidor da Nova República. E, cumprindo a promessa feita a Khabarakh, Leia Organa viaja a Honoghr em busca de novos aliados contra a tirania de Thrawn.

Meta de leitura 2017 | 12 meses e 13 livros

Nenhum comentário
Já estamos no em fevereiro, mas será que ainda é válido apresentar a meta literária para 2017? SIM! Pois bem, sem ligar para as velhas convenções de apresentar todas essas coisas logo nos primeiros dias do ano, cá estou eu, com uma lista de 13 livros na mão e um desafio de tirar da estante as antigas séries atulhadas.

Afinal, não tem coisa em que eu seja pior nessa vida do que acompanhar série de livros. Se não é um livro único, a possibilidade de nunca ler a trilogia completa é enorme. Por isso, vamos combinar que uma meta literária talvez seja a melhor maneira de perder esse antigo e infeliz hábito, não é mesmo?

O engraçado, talvez, é que muitos dos livros dessa lista eu já quero ler há muito tempo - alguns, há mais de 5 anos. Os motivos pelos quais eu nunca fiz, definitivamente, eu não consigo dizer. Agora, a ideia é que eu consiga ler pelo menos um livro da meta por mês, até que eu conclua todos os 13 livros.

Ah, e vale lembrar que estou aceitando recomendações literárias dos dois gêneros que mais aparecem na minha meta de leitura: literatura fantástica e ficção científica. Coração aberto para novas leituras, podem mandar! 💜

Trilogia Lendas do Mundo Emerso - Licia Troisi

Eu não apenas gosto de fantasia medieval, eu RESPIRO fantasia. Mesmo o melhor livro de qualquer outro gênero não me encanta tanto quanto adentrar nesse meio de castelos, espadas e honra. Não foi surpresa, então, quando eu definitivamente amei toda a trilogia Crônicas do Mundo Emerso, da Licia Troisi.

Acompanhar Nihal, a personagem principal da primeira trilgia, foi maravilhoso. Uma protagonista forte (e bota forte nisso) e que sabe manejar bem uma espada é raridade na fantasia medieval, mas é o que encontramos em todas as obras da Troisi. Por isso mesmo, eu estava super ansiosa para ler as outras trilogias da autora, e enfim comprei a 3ª escrita por ela.

Nessa série, o Mundo Emerso novamente está em perigo, tomada pela peste e prestes a entrar em guerra novamente. A protagonista não é tão sangue no olho quanto Nihal, mas igualmente está preparada para qualquer batalha e tem um fundo misterioso, que torna toda a história muito mais interessante.

Já li o primeiro livro da trilogia (e logo sai resenha no blog). Se estou ansiosa para ler os próximos? Sim ou claro? Mas confesso que o primeiro livro foi tão bom, que definitivamente não quero terminar de ler essa trilogia - queria estar imersa nessas obras por toda a vida. (Sinta a depressão pós-livro de leve!)

1. O Destino de Adhara

Adhara acorda no campo. Ela não consegue se lembrar como chegou ali, onde está, mas,
acima de tudo, ela não lembra quem é. Enquanto vaga por um mundo desconhecido ela descobre aos poucos que possui poderes incomuns. Ela conhece Amhal, um jovem aprendiz de Cavaleiro de Dragão perturbado, que está pronto a ajudá-la a descobrir quem ela é, mas uma ameaça nova e escura vinda de um passado remoto e esquecido, está rondando o Mundo Emerso, depois de 50 anos de paz e prosperidade.
O destino de Amhal e Adhara está cada vez mais entrelaçado com as forças que tencionam destruir o Mundo Emerso.

2. Filha do Sangue

O mal implantado pelo povo dos elfos no Mundo Emerso está dizimando as cidades e
vilas em um redemoinho de violência e desespero. Enquanto a sacerdotisa Theana busca uma cura para a doença e a Rainha Dubhe organiza uma fraca resistência contra o exército de elfos, a única esperança do Reino corre o risco de desaparecer: Adhara, a garota sem passado. Ela é muito mais que uma guerreira, é uma arma, a mais poderosa arma já vista pelo Mundo Emerso. Acima de tudo, Adhara não é uma predestinada, é uma Consagrada, criada com o único propósito de combater o Marvah, o mal absoluto que eternamente se alterna com o bem no ciclo da história. Mas o seu destino era outro, a vida mortal abandonada no campo, e o destino quer retomar seu curso, sob o preço de destruí-la. Inimigo inesperado impede a missão de Adhara: não mais seu amor por Amhal e seu mal, e nem a loucura da praga, mas uma sombra pedira um preço alto.

3. Os últimos heróis

Último volume da trilogia Lendas do Mundo Emerso, mais uma bem-sucedida série da
italiana Licia Troisi, Os últimos heróis apresenta um cenário desolador para o Mundo Emerso, tomado por uma terrível peste disseminada pelo rei dos elfos, e é chegada a hora de Adhara encarar seu destino irremediável e tornar-se definitivamente aquela que vai combater Marvash, o mal absoluto. Graças à sua coragem e à ajuda de uma guerreira rebelde, um sacrifício está prestes a consumar-se, e um milagre prestes a se cumprir, no aguardado e surpreendente desfecho das Lendas do Mundo Emerso.

4. A invenção de Hugo Cabret - Brian Selznick 

Fazia um bom tempo que eu queria ler A invenção de Hugo Cabret, obra do ilustrador e escritor Brian Selznick. A magia do livro talvez não esteja tanto em sua seu título, sinopse nem capa. A edição de A invenção de Hugo Cabret é que encanta, não importa sua idade nem sua aproximação por obras mais visuais!

E o primeiro adendo que preciso fazer é que, não, eu não assisti o filme. Apesar de entender mais ou menos o contexto em que a história é contada, e alguns detalhes do personagem, meu conhecimento não passa disso.

Apesar disso, logo que vi o livro pela primeira vez na livraria, fiquei completamente apaixonada! Completamente! As ilustrações são belíssimas, a edição é linda, e pulei pela casa quando consegui o livro numa troca pelo Skoob Plus. <3

Hugo Cabret é um menino órfão que vive escondido na central de trem em Paris dos anos 1930. Esgueirando-se por passagens secretas, Hugo toma conta dos gigantescos relógios do lugar: escuta seus compassos, observa os enormes ponteiros e responsabiliza-se pelo funcionamento da máquinas. A sobrevivência de Hugo depende do anonimato: ele tenta se manter invisível porque guarda um incrível segredo, que é posto em risco quando o severo dono da loja de brinquedos da estação e sua afilhada cruzam o caminho do garoto. Um desenho enigmático, um caderno valioso, uma chave roubada e uma homem mecânico estão no centro desta intrincada e imprevisível história, que, narrada por texto e imagens, mistura elementos dos quadrinhos do cinema, oferecendo uma diferente e emocionante experiência de leitura.

Mestres da Ficção científica

Já falei algumas vezes sobre meu recente interesse por ficção científica, e acabei inserindo vários livros do gênero não apenas em minha lista de leitura, como também em meu hábito. Junto com fantasia, esse é o gênero que mais leio, atualmente.

Ano passado, li 2001 - Uma Odisseia no Espaço, e Arthur C.Clarke se tornou um dos grandes amorzinhos. Não à toa, ele aparece em minha lista de leitura 2 vezes. E olha que me segurei para não colocar mais livros dele, afinal, havia outros clássicos recomendados para mim e que preciso ler também.

Já estou lendo O Outro lado do Céu, que é um livro de contos do Clarke, e, apesar de estar gostando, acho que o ponto forte do autor está realmente nas narrativas mais longas. E Asimov é um dos autores que já me recomendaram umas 4 vezes, mas não li nada dele. Veja bem!

5. O outro lado do céu - Arthur C.Clarke

"The Other Side of the Sky". Arthur C. Clarke começou a interessar-se pela ficção
científica quando ainda criança, e aos 16 anos publicou num jornal escolar as suas primeiras tentativas no gênero. Mas só depois dos 30 é que se tornou um escritor profissional, após o êxito obtido pelo seu primeiro livro, Viagem interplanetária, que tinha caráter técnico. Clarke é conhecido pelo rigor no uso de dados científicos em suas histórias, sendo ele mesmo cientista com descobertas importantes e ganhador de vários prêmios. Este livro reúne alguns de seus melhores contos, como o clássico "Os cem trilhões de nomes de Deus", entre outros.

6. 2010: Uma Odisseia no espaço II - Arthur C. Clarke

O livro é uma continuação da história da nave Discovery, do computador HAL 9000 e do tripulante Dave Bowman (principal personagem do primeiro livro) que foram ao encontro de Júpiter e, consequentemente do "Grande Irmão":denominação dada ao grande monólito (AMT-2) encontrado em Júpiter que, ao não ser pelo tamanho, é idêntico ao monólito encontrado na Lua em 2001.
Nesta história o personagem principal trata-se do Dr. Heywood Floyd, que havia comandado da Terra a missão da Discovery em 2001, e agora parte na nave Leonov (uma nave russa) junto com Walter Curnow (o engenheiro que projetou a Discovery) e Dr.Chandra (que construiu HAL 9000), além da tripulação russa, em uma missão para resgatar a primeira nave e tentar descobrir mais sobre o monólito de Júpiter e o paradeiro de Dave Bowman. Nesta viagem o computador HAL 9000 é reativado, assim como toda a Discovery. Eles descobrem que os mesmos seres inteligentes que nos deixaram os monólitos estão desenvolvendo vida no satélite jupiteriano Europa. Junto a Leonov outra nave parte para as proximidades de Júpiter: a nave chinesa Tsien, que pousa em Europa, mas acaba sendo destruída. Um de seus tripulantes (Dr.Chang), o único sobrevivente, consegue relatar as formas de vida europanas através de seu rádio para a humanidade antes de morrer.
Quando Leonov finalmente chega ao monólito este não apresenta nenhuma reação durante um longo tempo, até que o "Novo Dave Bowman" (ou aquilo em que ele se transformou) reaparece e avisa a tripulação que a Leonov deve voltar para Terra o quanto antes. Através de uma acoplagem entre a Leonov e a Discovery a tripulação foge das proximidades de Júpiter, com a grande ajuda de HAL, que deixa de ser um antigo vilão para se tornar um verdadeiro herói. Eles escapam bem a tempo da explosão de Júpiter causada pelo monólito, que transforma o antigo planeta em uma nova estrela, um segundo sol.
Junto com esta explosão é transmitida uma mensagem dos donos dos monólitos a toda a humanidade: "TODOS ESTES MUNDOS SÂO SEUS EXCETO EUROPA. NÃO TENTEM ATERRISSAR LÁ!
Com este desfecho é dada a resposta definitiva sobre vida inteligente não-humana e inicia-se a conquista do espaço pelo homem.

7. O fim da eternidade - Isaac Asimov

Andrew Harlan é um Eterno: membro de uma organização que monitora e controla o Tempo. Um Técnico que lida diariamente com o destino de bilhões de pessoas no mundo inteiro: sua função é iniciar Mudanças de Realidade, ou seja, alterar o curso da História. Condicionado por um treinamento rigoroso e por uma rígida autodisciplina, Harlan aprendeu a deixar as emoções de lado na hora de fazer seu trabalho.
Tudo vai bem até o dia em que ele conhece a atraente Noÿs Lambent, uma mulher que abala suas estruturas e faz com que passe a rever seus conceitos, em nome de algo tão antigo quanto o próprio tempo: o amor. Agora ele terá de arriscar tudo - não apenas seu emprego, mas sua vida, a de Noÿs e até mesmo o curso da História.
Da extensa obra de Isaac Asimov, "O Fim da Eternidade" (publicado originalmente em 1955), junto com a série "Fundação e The Gods Themselves", está entre os melhores livros escritos pelo autor, e é considerada uma das mais bem-sucedidas histórias de viagem no tempo.

Séria Ciclo da Herança - Christopher Paolini

Acompanho a série de Eragon há tanto tempo, que a leitura já se tornou uma verdadeira saga. Depois de 5 anos, finalmente comprei o último livro da quadrilogia e decidi: DESSA VEZ, VAI. Mas como a leitura é mesmo uma grande saga, vamos lá, nós, novamente, ler o primeiro livro para então partir para os próximos.

Até já fiz resenha do primeiro livro da série, e publiquei há bastante tempo. Porém, depois de uns 4 ou 5 anos, não confio nem um pouco em minha memória e prefiro simplesmente ler do início novamente.

Como a meta de leitura já estava ficando bem lotada de livros, decidi que acrescentaria apenas os 3 primeiros da série e deixaria para ler o 4º - que, aliás, é o último, né - no início de 2018. E é isso, garotada, aprendam comigo como começar um ano já com pendências para o próximo! Não recomendo.

E se existe um deus dos leitores lá em cima, por favor, que ele me escute. PRECISO terminar de ler a saga do Paolini, pelo amor da deusa!

E, - ah! -, não vou colocar a sinopse dos 3 livros da série por motivos de SPOILERS. E dos grandes! Depois de ser spoilarda sem querer, não vou fazer o mesmo com vocês, não é mesmo?

8. Eragon

Eragon é o romance de estréia de Christopher Paolini, uma história repleta de ação, locais fantásticos e perigosos vilões. Com dragões e elfos, cavaleiros, lutas de espadas, inesperadas revelações e, claro, uma linda donzela que é muito bem capaz de cuidar de si própria. O protagonista, de quinze anos, é um pacato rapaz do campo, que ao encontrar na floresta uma pedra azul polida, se vê da noite para o dia no meio de uma disputa pelo poder do Império, na qual ele é peça principal.

9. Eldest





10. Brisingr







11. Outlander - Diana Cabaldon 

Amo autoras mulheres e quero protegê-las. Principalmente quando estamos pensando em fantasia, um meio quase sempre dominado pelos homens. Por já ouvir muito falar em Outlander, decidi que ele faria parte de minha meta de leitura.

Consegui o livro numa troca pelo Skoob Plus e já estou super ansiosa para ler - apesar do medinho que as pessoas me botam com relação a obra. "Muito chata", "não acaba nunca", são apenas algumas das coisas que ouvi com relação a ele. Bem. Fazer o que, não é mesmo?

Provavelmente, essa será uma das minhas últimas leituras do ano. Oremos!

Em 1945, no final da Segunda Guerra Mundial, a enfermeira Claire Randall volta para os
braços do marido, com quem desfruta uma segunda lua de mel em Inverness, nas Ilhas Britânicas. Durante a viagem, ela é atraída para um antigo círculo de pedras, no qual testemunha rituais misteriosos. Dias depois, quando resolve retornar ao local, algo inexplicável acontece: de repente se vê no ano de 1743, numa Escócia violenta e dominada por clãs guerreiros.
Tão logo percebe que foi arrastada para o passado por forças que não compreende, Claire precisa enfrentar intrigas e perigos que podem ameaçar a sua vida e partir o seu coração. Ao conhecer Jamie, um jovem guerreiro escocês, sente-se cada vez mais dividida entre a fidelidade ao marido e o desejo. Será ela capaz de resistir a uma paixão arrebatadora e regressar ao presente?

Universo Star Wars 

Meu amor por Star Wars está um pouco óbvio... Ou será que a foto com uma pilha de livros da série, os bonecos espalhados pelo quarto na casa de meus pais e as camisetas estampadas já não deixam isso claro?

Ler o universo expandido é como dar uma outra vida e enxergar muito além dos filmes que já foram lançados, e acho isso ótimo! É até um pouco emocionante pensar em como aquilo tudo foi escrito por um fã, um cara que provavelmente gostava tanto da trilogia quanto eu.

Tenho alguns dos livros lançados no Brasil, mas comecei acompanhando, de verdade, a trilogia escrita pelo Timothy Zahn. Publicada pela Aleph, já tenho até resenha do primeiro livro da série, o Herdeiros do Império, e também já li o segundo livro, que logo terá resenha também no blog. (Pela graça da deusa, amém!)

Além de concluir essa trilogia ainda esse ano, espero ler algumas outras obras que já adquiri. Uma delas, em específico, é a Sombras do Império, que contextualiza ainda mais o papel desenvolto de Darth Vader (ah... nosso amado Vader,,,) dentro da ascensão do império,

12. O Último Comando - Timothy Zahn

Depois de Herdeiro do Império e Ascensão da Força Sombria, chega ao fim a legendária trilogia com o grão-almirante Thrawn, no auge de seu poder. Após resgatar a tecnologia de clonagem de soldados do derrotado Império, Thrawn se prepara para o ataque definitivo à Nova República. Nesse cenário, Han Solo e Chewbacca seguem com os últimos esforços para montar uma parceria com antigos traficantes; Leia, prestes a dar à luz seus filhos gêmeos, tenta manter a Aliança unida e Luke lidera uma importante missão para acabar com as forças remanescentes do Império.

O grandioso final da trilogia que fez história no Universo Expandido de STAR WARS traz alianças inusitadas, muita ação e grandes revelações, na aventura final para salvar a galáxia muito, muito distante.

13. Sombras do Império - Steve Perry

São tempos sombrios na galáxia. Enquanto a princesa Leia organiza uma missão para resgatar Han Solo do terrível Jabba, o Hutt, Darth Vader vasculha a galáxia atrás de Luke Skywalker, com o objetivo de recrutá-lo para o lado sombrio da Força.
Para atender a ordem do imperador Palpatine, o Lorde Sombrio une seus esforços a Xizor, poderoso líder de uma organização criminosa. Mas Vader não é o único a querer as graças do imperador, e seus planos podem ser colocados em risco, já que o chamado Príncipe Negro pode ter outros interesses nessa empreitada.



Depois de um artigo enorme desse, aposto que estou desculpada pelo meu sumiço de mais de 1 mês. Pense no trabalhão que deu! Se você já leu algum livro da lista, não deixa de comentar, okay? Aguardo por opiniões e as famigeradas sugestões! 💙

Resenha | A Governanta (A. S. Victorian)

Um comentário
Os livros históricos são nosso passaporte para o passado, e eu amo essas viagens para outros tempos. Conhecendo um pouco da A. S. Victorian, eu sabia mais ou menos o que podia esperar de A Governanta, talvez por enxergar semelhanças entre o livro e outros romances históricos. Bem, nesse ponto ela me surpreendeu.

A Governanta conta a história - por vezes, sofrida - da Samantha. Com um pai ausente, mas uma mãe amorosa, acompanhamos parte da infância feliz da menina. No entanto, após a morte quase misteriosa da mãe, a vida da menina muda completamente. E é aqui, talvez, que começa de verdade o livro.

Criada por governantas no maior estilo "madrasta má", e com castigos praticados por seu pai cada vez mais ausente, Samantha amadurece rápido e perde boa parte do que deveria ser uma época feliz em sua vida. Nessa época, mesmo seu vínculo com amigos ganha alguma distância e ela se sente extremamente sozinha.

Talvez por todo esse resgaste à infância da protagonista, A Governanta sai bastante do que normalmente vemos nos romances históricos e me surpreendeu. Senti que o recorte poderia ter sido bem menor do que foi, ou então ser acrescentado à narrativa através de cenas no decorrer do livro, mas não foi algo que me incomodou tanto.


Quando a menina faz, enfim, 18 anos, a história deslancha em casamento arranjado, pai casado e com outro filho, decisões e reencontros. É um ponto realmente marcante não só para a personagem, mas também para a autora, que vai ganhando mais voz na narrativa.

Sempre muito obediente e uma filha exemplar, Samantha resolve fugir do casamento forçado e das garras do pai, cada vez mais cruel. Com a ajuda de amigos, ela parte para a Inglaterra e vai trabalhar como governanta na casa do David Luft. Aqui, a narrativa da A. S. Victorian está em seu melhor momento, fluída e muita gostosa de ler.

A leitura para mim foi bem rápida, sempre numa narrativa de tom simples; ditada tanto pela "voz da escritora", que parece ter encontrado seu jeito de escrever nessa simplicidade, quanto também por sua falta de experiência. Dá para ver como a autora amadureceu com relação ao início do livro, e, por ser seu primeiro livro, é bem claro o quanto ela precisa aprender daqui para frente ainda.

Com relação a isso, talvez o que eu mais tenha sentido falta é de uma aproximação com a Inglaterra daquela época, afinal, este é um romance histórico. O recorte não foi muito bom, e é possível que tenha faltado alguma sintonia entre a autora e a própria época em si.

Falta de pesquisa? Não sei bem. Acho apenas que Victorian não conseguia se imaginar tão bem dentro do universo que escrevia e isso tirou um pouco da experiência do próprio leitor dentro do cenário. Ainda assim, sinto que para um primeiro trabalho no gênero, a Victorian se saiu muito bem!

O destaque está para o romance, que começa com um clichê mas consegue ganhar identidade própria no decorrer das mais de 500 páginas do livro. Aliás, não só isso é um grande feito: o fato do livro ser tão longo, e ainda assim fácil de ler, dá alguns pontos de crédito para a autora, que soube dirigir boa parte da narrativa muito bem.

O romance de estreia da A. S. Victorian merece atenção, talvez, por suas personagens marcantes e humanas. Porém, a edição do livro passou por muitos problemas com relação à edição do texto. Há muitos erros ortográficos e de digitação, marcando principalmente a falta de atenção da editora do livro quando lançou a edição. Uma pena!

No mais, A Governanta é um livro bacana para passar o tempo. O tom da narrativa é ideal para quem quer ler algo em uma única sentada, e as 500 páginas não devem assustar. Não mesmo! Se você gosta de romance, final feliz e aqueles velhos mocinhos durões, se joga na leitura, que provavelmente você vai gostar.

Para ler o primeiro capitulo, acesse o blog da autora!

Autora: A. S. Victorian
Editora Maresia
Ano 2016
504 páginas
SkoobNota: 7,5/10 | 4 estrelas
Sinopse: Samantha sempre foi a filha exemplar que obedecia piamente ao pai. Mas, depois de seu noivado forçado com um homem assustador, decidiu dar um basta em seu sofrimento. Sua solução foi fugir para a Inglaterra e trabalhar como a governanta do pequeno Charles em Winterfields. Era a chance de ser feliz, mas o passado sulcara a vida das pessoas ali, construindo um fosso profundo no coração do dono do lugar, David Luft.
Mr Luft era ininteligível, sempre sério e pensativo, guardando coisas que nem a própria Sam imaginava. Curiosa, ela luta para entrar naquela mente conturbada e, quando dá por si, não é mais curiosidade que a motiva a continuar.

Resenha | Aconteceu em Veneza (Molly Hopkins)

Um comentário
E aqui temos a primeira leitura de 2017! Depois de um tempo distante não apenas do blog, mas também de leituras e da própria vida, pouco antes do ano novo resolvi voltar ao universo tão vasto e gratificante que é o dos livros. Por que escolhi Aconteceu em Veneza, da Molly Hopkins? Não sei muito bem explicar, mas, por puro impulso, peguei esse livro chick-lit de minha estante e comecei a folhear. 

Não é que, sem nem perceber, acabei lendo o primeiro livro do ano? Quando dei por mim, já tinha passeado por todas as quase 500 páginas da obra de Molly Hopkins. Continuação do livro Aconteceu em Paris, também publicado pela Editora Novo Conceito, o livro acerta a mão na dose de humor e romance, itens cruciais em todo bom livro chick-lit, não é mesmo? 

Apesar disso, devo dizer, logo de cara, que não sou exatamente a maior fã do gênero e, geralmente, acho os romances água com açúcar muito lentos - ou, quem sabe, irritantes? Ainda que Evie Dexter, a protagonista de Aconteceu em Paris e Aconteceu em Veneza, seja engraçada e meio doida, tive a vontade profunda de voar no pescoço dela em muitas partes do livro. Muitas mesmo! 

Depois de problemas graves no relacionamento, ela fica dividida entre dar uma nova chance ao seu namorado Rob ou terminar tudo. Aconteceu em Veneza é um livro que, talvez, trace alguns limiares mais profundos na vida de Evie. É aqui que ela constrói novas relações e percebe alguns fatos que importam mais dentro de sua própria vida... Talvez seja um livro de crescimento? Sim, e isso é muito bom.

Além disso, antigas relações da Evie também evoluem, e você assiste o modo como a protagonista e Nick, seu antigo amigo, passam a interagir. A evolução da amizade entre ela e sua melhor amiga, com suas grandes trapalhadas e boca grande, também é muito legal. 

E se tem uma coisa que realmente marcou presença em Aconteceu em Veneza, essa coisa foi o romance! Haja casal! O livro começa com Evie tentando se resolver com seu namorado, e acaba numa espécie de... Como é que podemos chamar uma relação com 5 pessoas envolvidas? Nem eu sei! 

O final tem lá sua surpresa, apesar de ter parecido um tanto quanto corrido. Parece que a autora se preocupou tanto em desenvolver o romance entre tanta gente, que esqueceu que uma hora aquele livro precisava, bem, acabar. As últimas 30 páginas parecem mais uma corrida rumo o tal do final feliz - com uma dose de incerteza, como se a Evie na verdade estivesse entrando num ciclo. Será?

"Um cordão invisível me liga a ele, de corpo e alma. Este lindo e barulhento Adonis é o meu destino, disso eu tenho certeza absoluta. Eu simplesmente não me canso dele. [...] Você já ouviu isso tudo antes, eu sei, mas desta vez é de verdade." 

Um detalhe que preciso acrescentar é com relação à edição do livro em si. Não preciso nem dizer que a capa foi bem fraca, não é? Mas a Novo Conceito também pecou em outros aspectos, e há alguns erros ortográficos e de digitação no decorrer de toda a obra. A edição poderia ter sido muito melhor! 

No fim, acredito que o livro (a duologia em si, na verdade) tenha todo o potencial para agradar quem gosta de chick-lits com bastante humor e confusão. Particularmente, achei o romance fraco e a personagem irritante, mas as cenas engraçadas compensou um pouco e a leitura fluiu rápido.  


Nota 1: Ah, e aos que gostaram da leitura... Sabiam que a autora tem um 3º livro da Evie? Ainda não publicado no Brasil, e sem previsões disso, o It Happened at Boot Camp, uma novela bem curtinha que se passa depois do 2º livro, pode ser encontrado através da Amazon. Totalmente em inglês, claro, mas para quem é fã da autora e entende um pouquinho do idioma, quem sabe role, não é mesmo? 

Nota 2: Eu realmente peguei o livro tão no impulso - e ele estava há tanto tempo na estante, que eu nem me toquei que ele era o 2º de uma série... E li quase metade dele até perceber isso! Lerda, eu? IMAGINA!

Onde comprar: 

Amazon - livro físico R$ 17,52 | Amazon - E-book R$ 20,67
Saraiva - livro físico R$ 23,90
Livraria Cultura - livro físico R$ 23,45 | Livraria Cultura - E-book R$ 24,90

Autora: Molly Hopkins
Série Evie Dexter - 2º livro
Editora Novo Conceito
Ano 2014
464 páginas
Skoob
Nota 7/10 | 3 estrelas de 5 
Sinopse: Bem-vindo a Veneza, a Cidade do Amor.
Ele traiu, mas foi uma única vez! Evie Dexter prometeu perdoar seu noivo, Rob e todos os esforços para absolvê-lo de seus pecados estão valendo a pena: nos últimos 10 dias, ela só o chamou de cafajeste 11 vezes.
Graças aos céus, sua carreira de guia de turismo está indo muito bem. Evie já conheceu a elegante Dublin, a estilosa Marrakech e a descolada Amsterdã. Quando é convidada para visitar, com todo o luxo e glamour, a sensual cidade de Veneza, com seu vinho delicioso e os italianos impetuosos, ela agarra a oportunidade com unhas e dentes.
Se você está à procura de romance, já encontrou o seu destino: embarque em Aconteceu em Veneza, viaje com Evie e tente responder a esta pergunta: o que você faria se estivesse no lugar dela?

Lista de leitura | 5 livros de fantasia que estou ansiosa para ler

2 comentários
Se há amor maior que o meu pela literatura fantástica, ainda estou para conhecer. Enquanto não posso ter minha própria Saphira ou me tornar uma mercenária sangue no olho, elenquei alguns livros para saciar minha sede de aventuras - e graças à deusa que eles existem aos montes! Afinal, quem não queria estar agora no dorso de um dragão viajando pelo mundo, com uma espada em sua cintura e um milhão de perigos mágicos para viver pela frente?


O gênero literatura fantástica ocupa minha estante aos montes, e estou sempre pondo mais um livro na minha já quilométrica lista de leitura. O post de hoje reúne algumas obras que estou super ansiosa para ler e ter na minha prateleira. A lista está bem plural, e tem livro para todos os gostos - mesmo que todos eles sejam de fantasia. É só escolher o seu e abraçar a leitura.

1- Guerras do mundo emerso (Licia Troisi)

Aviso aos navegantes que reli a primeira trilogia da Licia Troisi 3 vezes, e não à toa. Crônicas do Mundo Emerso está entre os top 5 que fazem parte do meu rol de séries de fantasia medieval preferidas, logo, assim que Guerras do Mundo Emerso foi anunciada no Brasil, eu tive um treco. Certo, eles não lançaram o livro aqui numa edição bonitinha nem nada, mas já é um começo - apesar do livro ser bem caro, ainda que não tenha uma edição tão legalzinha.

A verdade é que dizem que a protagonista de Guerras do Mundo Emerso nem se compara com Nihal, a guerreira de ar macabro da primeira trilogia da autora. Ainda que a temática de menina com poder sanguinário ainda permaneça, afinal, a história foca em Dubhe, uma mulher que tem o chamado dom de matar. Só queria uma promoçãozinha do Submarino para enfim ler novamente uma das autoras de fantasia mais lindas do século! (Junto com a Trudi Canavan e Cornelia Funke. E sem exageros, juro!)


2- O nome do vento (Patrick Rothfuss) 

A série escrita pelo Patrick Rothfuss já tem bastante tempo, e desde que ele foi lançado que minha ansiedade pela leitura só cresce. Patrick é um daqueles George R.R. Martin da vida que preferem escrever verdadeiras lendas em forma de bíblias, o que - acho eu - só faz toda a expectativa do leitor aumentar com relação ao livro. Afinal, são quase 700 páginas só no livro O Nome do Vento, o primeiro da saga.

Através do livro nós conhecemos Kote, um homem que carrega em sua trajetória mais mistérios do que verdades abertas. O mais interessante no protagonista está em sua dupla face, que o transforma em um mocinho e vilão simultaneamente. Comprei esse e também O Temor do Sábio, segundo livro da série, faz algum tempo, e estou só esperando uma folga mais tranquila para me jogar nessas bíblias da fantasia!


3- O segredo dos Nagas (Amish)

Essa é daquele tipo de série que mistura em sua receita todos os pontos de uma boa mitologia com protagonistas marcantes, aventura e uma pitada de romance. Okay, eu passei uns bons meses elogiando sem parar Os imortais de Meluha, livro de estreia do autor indiano Amish. Mas não tem como ser diferente, diante uma narrativa tão bem construída, com seus picos nos lugares certos e um final de tirar o fôlego.

Você termina o livro MUITO ansiosa para devorar o próximo, tal a qualidade da magia em forma de letras que Amish construiu ao redor de sua obra. Se você curte se aventurar por culturas mitológicas - tais como a Nórdica e Grega -, precisa mesmo dar uma chance pra série de Amish, que desvenda os deuses mitológicos indianos. A série é bem recente, e O segredo dos Nagas foi publicado apenas ano passado… E desde lá está na minha listinha de compras. Aliás, estou aceitando o livro de presente, tá?


4- Sangue de tinta (Cornelia Funke)

Sangue de Tinta até dispensa demais apresentações, afinal, Mundo de Tinta é uma daquelas séries que conquista o coração de todo leitor bem fácil, simplesmente por sua temática e protagonistas que adoram as palavras tanto quanto nós. Li o primeiro livro da série ano passado, e, claro, amei. Devo dizer que, acho eu, o sistema de trocas do Skoob acabará fazendo minha alegria esse ano, já que será minha forma de adquirir tanto Sangue de Tinta quanto Morte de Tinta, continuações do primeiro livro. Cruzando os dedos e louca para que os livros cheguem logo!

Em Coração de Tinta, conhecemos personagens que conseguem dar vida à outros seres através da escrita. Sangue de tinta acompanha os destinos de Meggie e seu pai, além dos outros personagens que tanto encantaram os leitores.


5- As mentiras de Locke Lamora (Scott Lynch)

Publicado há cerca de 2 anos pela Editora Arqueiro, As Mentiras de Locke Lamora apresenta aquele tipo de anti-herói que basicamente todo leitor ama, um tipo que ganha a fama de Robin Hood da vida. Sim, Locke Lamora rouba dos ricos, mas, definitivamente, nada que ele rouba vai para os pobres… Portanto, ele está mais para um vilão do que um mocinho propriamente dito.

Protagonistas nesse modelo costumam reservar em seu âmago uma complexidade que me agrada bastante, e por isso estou ansiosa pela obra desde que foi publicada, apesar de ter lá meus receios com a leitura, também. Acho esse livro meio carinho, então cá estou eu esperando uma promoção bem louca do Submarino - e dinheiro! - para comprar a obra.

O segundo e terceiro livro, Mares de Sangue e República de Ladrões, respectivamente, já foram até publicados. Digamos que estou bastante atrasada com a leitura, então. :)



E então, você também é leitor destemido e intrépido de literatura fantástica? Já leu algum dos livros que estão na minha lista, ou recomenda outros que achou bacana? Fala aí que sempre cabe mais um livro na minha lista!

Evento | Dia Nacional dos Semideuses em Salvador!

Um comentário
Semideuses de Salvador, preparem o coração e a mochila, que mês de agosto tem Dia Nacional dos Semideuses (DNS) também na capital baiana! E para comemorar esse dia, nada melhor do que chamar os amigos para um super evento, com atividades, diversão e, claro, um campeonato de Caça a bandeira

O evento será realizado nos dias 6 e 7 de agosto, ali no Parque da Cidade - Itaigara. Fácil, fácil de chegar, né? As atividades começam as 10h30 e vão até às 17h ou 16h. E a programação está mesmo bem plural, com várias atividades até o fim do dia. Que tal ir e chamar os amigos tudo?

Para saber mais sobre DNS em Salvador e estar atento às novidades, vale ficar atento no evento criado pelos organizadores no Facebook.  E, ah(!), essa foi uma divulgação solicitada pela aliança entre os chalés 1 e 28, viu?

Programação: 

Dia 06/08
Inicio: 10h30
Encerramento: 17h

10h30 - Chegada dos Semideuses e arrumação dos chalés
11h30 - Inicio das Atividades: Grito de Guerra para a Verdadeira Guerra!
Atividades:
Castigo de Sisifo (7 pedrinhas): Um chalé irá disputar contra o outro até que sobre apenas um chalé. (50 pontos)
Cabra cega inteligente - quiz dos livros Magnus Chase e Deuses de Asgard (100 pontos)
Adivinhe quem é o personagem (70 pontos)

Pausa para piquenique

Resgate Annabeth (70 pontos)
Garrafão - atividade em dupla com o objetivo de pegar uma bandeira. (100 pontos)
Caça ao tesouro com swordplay (200 pontos)
Inicio do campeonato de caça a bandeira

Dia 07/08
Inicio: 10h30
Encerramento: 16h

10h30 - Chegada dos campistas e arrumação de cada chalé
11h30 - Inicio das atividades

Atividades
Corrida de bigas versão humana com obstáculo (100 pontos)
Apolo e flecha - 4 garrafas à distância com pontuação no rótulo. Três campistas de cada chalé devem tentar acertar as garrafas usando arco e flecha

Pausa para piquenique

Encontre Luke Castellan
Final de campeonato de Caça a bandeira 

16h: Encerramento e anúncio de vencedores